bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Varig já cancelou 41 vôos nesta quinta

Até as 10 horas desta quinta-feira a Varig já cancelou 41 vôos em todo o País. Os dados estão disponíveis no site da Infraero, que explica a possibilidade de mudança desse total a qualquer instante. Além disso, dois vôos estavam com atraso até este mesmo horário: um que sairia de Cruzeiro do Sul, para Congonhas, em São Paulo; e outro que sairia de Galeão, no Rio de Janeiro, para Boa Vista, em Roraima.Desses vôos, cinco cumpririam trajetos internacionais. Deles, dois partiriam do Aeroporto de Galeão, no Rio, com destino à Buenos Aires e Montevidéu. Os outros três deveriam sair de Guarulhos, para Assunção, Nova York e Paris.Em nota distribuída na última quarta-feira, a companhia garantia em âmbito internacional, as viagens para Frankfurt, Londres, Buenos Aires, Lima, Santa Cruz de La Sierra, Santiago do Chile e Caracas. Na malha doméstica estavam mantidos os destinos de Rio de Janeiro, nos aeroportos de Santos Dumont e Tom Jobim; São Paulo, em Congonhas e Guarulhos; incluindo também a ponte aérea, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Foz do Iguaçu, Curitiba, Porto Alegre, Fernando de Noronha, Florianópolis, Macapá e Brasília.A mesma nota anunciava a suspensão por tempo indeterminado dos seguintes trajetos: Milão, Munique, Madri, Paris, Nova York, Miami, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá. Venda de passagens Mesmo com essa suspensão, passagens aéreas com saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos para esses destinos já podem ser compradas pelo no site ou pelo telefone de atendimento da Varig, após o vencimento desta suspensão. O fato é que não há nenhuma garantia de que, passado este prazo, que acabaria nesta sexta-feira, os vôos serão retomados. Um atendente da companhia disse à reportagem do Portal Estadão que os vôos são garantidos, e que, havendo qualquer tipo de problema nas decolagens, a Varig encaminhará seus passageiros à outra empresa.Na sexta-feira, mesma data em que os vôos seria retomados, os Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) deverão depositar US$ 75 milhões para que a oferta pela compra da companhia seja de fato efetivada. Na segunda-feira, a Justiça homologou a proposta do TGV, mas determinou um prazo para que a primeira parcela do pagamento fosse efetuada. Caso isso não ocorra, não está descartada a realização de um outro leilão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.