Varig lança nova identidade, acompanhada de serviços extras

Logotipo agora tem um toque de laranja em meio ao azul e ondas que simulam a aerodinâmica de um avião

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

23 de outubro de 2007 | 15h10

A Gol Linhas Aéreas, controladora da VRG Linhas Aéreas, apresentou nesta terça-feira, 23, a nova identidade visual da Varig. As primeiras mudanças estão representadas no novo logotipo: "um toque de laranja em meio a forte presença do azul e ondas que simulam a aerodinâmica de uma aeronave em vôo." As novas linhas também estarão presentes na pintura das aeronaves e nos uniformes da tripulação, além dos aeroportos nos quais a Varig opera.   Para as rotas internacionais, a companhia criou o conceito "Espaço Vita", que inclui um cardápio especial. "Jornais e sete títulos de revistas ampliam as opções de entretenimento. Já nos vôos domésticos o passageiro terá uma nova proposta de serviço de bordo, chamada de 'Sabores e Aromas do Brasil'.   De acordo com a companhia, a sala vip dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro; Guarulhos, em São Paulo; Afonso Pena, em Curitiba; e Salgado Filho, no Rio Grande do Sul, estarão em reforma até o ano que vem, "assegurando um espaço acolhedor ao passageiro a partir de 2008".   Destinos   O presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino Oliveira Júnior, afirmou que os destinos internacionais da Varig serão retomados até o final da primeira quinzena de novembro - prazo determinado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).   Segundo ele, desde que a Gol incorporou a Varig em 9 de abril deste ano, foi iniciada a operação do vôo Galeão-Frankfurt, interrompida posteriormente, e que deve ser retomada em meados de dezembro. Ele prosseguiu com o cronograma, informando que a operação para Londres terá início em 28 de outubro, e para a cidade do México, em 5 de novembro.   O executivo lembrou que as operações para Paris e Roma foram retomadas no início do mês passado. Ele disse também que as operações da Varig para Santiago terão início em 21 de novembro, e para Montevidéu, em 27 de novembro. Uma nova rota, para Madri, será inaugurada em 11 de dezembro.   Segundo Constantino Júnior, a Varig fechará 2007 com dez aeronaves, sendo cinco do modelo 767-300, e outras cinco do modelo 737-800, sendo que, neste caso, um dos aviões que já chegou ao Brasil está sendo apresentado agora à imprensa pelo executivo.   Além disso, ele afirmou que o grupo estuda a renovação da frota da Varig, que poderá incluir modelos A-350 da Airbus e o 787 da Boeing. "O grupo hoje tem plena condições de suportar os investimentos (na Varig)", disse em entrevista sobre o lançamento da nova marca da empresa no aeroporto do Galeão, no Rio.   Ele disse que o grupo está em fase de entendimento com os fabricantes do Airbus e também do Boeing 787. No caso da escolha por Airbus, sendo que a frota da empresa é inteiramente composta de modelos fabricados pela Boeing, ele afirmou que isso "não compromete o conceito de frota padronizada e estamos ainda em período de análise". Ele disse também que esses aviões ainda não começaram a ser produzidos e que as entregas só ocorreriam a partir de 2015.   A operação da empresa em Buenos Aires, interrompida em agosto, deverá ser retomada em 15 dias. Segundo Constantino, as questões pendentes da empresa na Justiça Trabalhista Argentina já foram resolvidas, e o projeto de retorno à capital daquele país está sendo finalizado.   O executivo negou que a Varig estaria enfrentando rejeições por problemas de dívidas para operar em alguns aeroportos internacionais. "Somos recebidos lá fora muito melhor, muitas vezes, do que dentro do Brasil", disse.   Contratações   Constantino Júnior disse que a Varig aumentará, até o final de 2008, em 65% o número de funcionários, somando 4.166 trabalhadores, a maior parte de ex-funcionários da empresa. Ele disse também que ao final de 2008 a empresa vai operar 14 destinos nacionais e 13 destinos internacionais.   Fechamento de capital   Oliveira Júnior acrescentou que a possibilidade de fechamento de capital da empresa ainda está em fase de análise. "Divulgamos um fato relevante há cerca de 15, 20 dias, informando que tudo poderia acontecer, inclusiva nada. Estamos em fase de análise, entendemos que pode ser uma boa oportunidade de investimento", disse.   Segundo ele, quando ocorrer a decisão, a divulgação será feita de forma democrática, para todo o mercado, inclusive para clientes e acionistas. Indagado se haveria abertura de capital da Varig, Constantino respondeu que o balanço da Gol Linhas Aéreas Inteligentes (GLAI), a controladora, hoje comporta as necessidades de investimento na Varig, nos próximos anos. "A Glai é que tem ações, e controla a Varig, então não trabalhamos com a hipótese de abrir capital de subsidiárias", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
VarigGol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.