Varig não pagará taxas aeroportuárias até 5 de abril

A Infraero não vai cobrar diariamente R$ 900 mil que a Varig tem de arcar por taxas aeroportuárias pelo menos até 5 de abril. Nesse dia, a estatal estima que deve ser publicado um acórdão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região (Rio e Espírito Santo), ratificando decisão de um juiz dessa instância que derrubou no dia 21 uma liminar que suspendia o pagamento dessas taxas desde setembro. A TAM também era beneficiada pelo recurso. A Varig deve à Infraero R$ 116 milhões. A TAM pagou R$ 74 milhões no dia 23.O banco de investimentos Mellon deve ser escolhido como o administrador do principal instrumento de reestruturação da Varig, o Fundo de Investimentos em Participações (FIP) controle. A segunda opção seria o Brascan, mas, segundo pessoas próximas às negociações, o Mellon "tem 95% de chances" de ser o escolhido durante assembléia de credores da companhia. Isso porque o valor do contrato do Brascan, contam as fontes, "é muito mais alto".Há também outra alternativa, esta mais improvável, que seria a escolha de duas instituições que não estão habilitadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a gerir FIPs. São as consultorias Íntegra e a ASM, esta última responsável pela elaboração e implementação do plano de reestruturação da Varig, que são uma espécie de suplentes "caso haja alguma reviravolta no processo", relata uma fonte.Independente de quem for o administrador Mellon e Brascan assinaram um compromisso para delegar à Alvarez & Marsal o poder de escolher o Conselho de Administração da Varig. A consultoria americana já foi contratada para administrar a reestruturação da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.