Varig opera normalmente em Londres, garante gerente

O gerente da Varig no Reino Unido, Mário Bruni, garantiu nesta quinta-feira que as operações da companhia aérea brasileira em Londres não foram afetadas por causa de sua crise financeira. "Não está ocorrendo nenhum problema no nosso trabalho", disse à Agência Estado. "Não temos registrado um volume de cancelamentos de vôos pelos passageiros acima do rotineiro." Ele admitiu, no entanto, que as incertezas em relação ao futuro da empresa geram apreensão entre os clientes "Diante da especulação alarmista da imprensa sobre o futuro da Varig e a presença de uma enorme comunidade brasileira vivendo aqui no Reino Unido, há pessoas que ficam mais inseguras, mas nossos funcionários e os agentes de viagem estão conseguindo tranqüilizá-los demonstrando que a empresa opera normalmente", disse. Taxa positiva Segundo Bruni, os vôos da Varig de Londres para o Brasil estão registrando nesta semana uma taxa de ocupação de cerca de 90%, um nível considerado por ele muito positivo. Bruni observou que a suspensão durante abril do vôo aos domingos de Londres para São Paulo e, às segundas-feiras, na rota inversa, já havia sido programada desde o início de março devido ao calendário de manutenção das aeronaves da empresa e as recentes limitações em sua frota. "Em maio esse vôo será restabelecido, como estava programado", afirmou. Transporte A Varig transporta, em média, cerca de 90 mil passageiros por ano de Londres para o Brasil. Segundo Bruni, o faturamento anual da empresa no Reino Unido onde conta com cerca de trinta funcionários é de cerca de US$ 100 milhões. Ele disse também que a crise não está afetando o programa de milhagem Smiles. "A troca de milhas do Smiles por passagens em outras empresas aéreas da Star Alliance está ocorrendo normalmente", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.