Varig renegocia dívida com 6 credores

O presidente da Varig, Arnim Lore, disse nesta sexta-feira que a renegociação de US$ 118 milhões referentes a dívidas com vencimento entre julho e 30 de novembro deste ano foi fechada com seis credores: Unibanco, BR Distribuidora, Banco do Brasil, Infraero, GE e Banespa/Santander. Segundo ele, a operação dará fôlego à companhia para administrar seu caixa até final de novembro, quando será apresentado um projeto de reestruturação financeira da companhia, que pode resultar também em uma capitalização da empresa. O executivo lembrou que a Varig contratou a KPMG, a Bain & Company e um escritório de advocacia para trabalhar no planejamento estratégico. Essa reorganização é fundamental para ajustar a situação da empresa, que hoje apresenta um dívida de US$ 900 milhões. O executivo revelou ainda que o BNDES vai acompanhar as negociações como observador. "A dívida da Varig é excessivamente grande para o tamanho da empresa", admitiu Lore. Lore afirmou que, até o momento, não vê a necessidade de novas demissões. A companhia já dispensou 600 pessoas desde junho e devolveu 18 aviões. Lore também não descartou a possibilidade, de que durante o processo de reestruturação, alguns dos credores se tornem sócios da companhia. "Se tivermos competência para mostrar que a Varig é um bom negócio, os credores podem acabar capitalizando a empresa." Ele admitiu que, se houver um novo aumento no querosene de aviação, as passagens aéreas devem ser novamente reajustadas. "É muito provável que isso ocorra."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.