Varig tem 30 dias para comprovar que pode manter linhas

A nova empresa formada a partir da venda da Varig para a VarigLog terá 30 dias após a homologação da operação para comprovar que tem condições de manter todas as suas linhas. Caso contrário os slots (horários e espaços para pouso e decolagem nos aeroportos) serão redistribuídos para outras companhias.O presidente da Agência , Milton Zuanazzi, explicou que, nos últimos meses, a companhia aérea deixou de operar várias rotas, que foram atendidas por outras empresas em um plano de contingência preparado pela Anac. Disse ainda que a autorização do órgão para a nova companhia que será criada para incorporar os ativos da Varig dependerá do cumprimento dos pré-requisitos exigidos pela agência.Hoje a Varig conta apenas com 16 aviões em atividade e opera somente 20% dos vôos de sua malha original. São apenas 14 cidades no Brasil, o que fez a participação de mercado da empresa despencar para 4,9% na primeira quinzena de julho. A malha internacional, que já incluiu todos os continentes, hoje se resume a Frankfurt, Londres, Miami e Nova York. Com tão poucos vôos - e com a falta de dinheiro para oferecer de castanhas a bebidas -, até a Sala VIP no aeroporto de Guarulhos foi desativada.Para atrair passageiros e gerar caixa, a Varig está recorrendo a promoções de última hora. No balcão do aeroporto, no dia do vôo, a Ponte Aérea Rio-São Paulo sai por apenas R$ 199 cada trecho. A taxa de ocupação na primeira metade de julho na Ponte ficou em míseros 21%. De uma extensa oferta de vôos a cada 15 minutos ou meia hora, restaram apenas 10 freqüências por dia. Apenas dois aviões servem a rota. Antes, eram seis.A Varig afirma que os vôos do plano de contingência, em vigor desde o dia 21 de junho e que reduziu a malha em quase 80%, estão sendo realizados normalmente. De acordo com o analista do setor Paulo Bittencourt Sampaio, para cumprir todas as freqüências intercontinentais previstas no plano de contingência seria preciso sete aeronaves, mas só há seis em operação. "Todo dia pelo menos um vôo está sendo cancelado."Participação de outras empresasA VarigLog já sinalizou às empresas de leasing de aeronaves que pretende manter, inicialmente, apenas 13 aviões. Enquanto isso, TAM, Gol e as diversas companhias aéreas estrangeiras ocupam mercado. Recentemente, Air France, British Airways, Lufthansa, Delta Airlines, entre outras, aumentaram suas ofertas de vôos e assentos para o País. Na ligação Brasil-EUA, as quatro companhias americanas operam 99 vôos semanais. Dentre as brasileiras, a TAM conta com 28 vôos semanais e a Varig, com apenas seis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.