Varig tenta acordo; economista aconselha solução de mercado

O coordenador do curso de gestão empresarial da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Ricardo Teixeira, explicou em entrevista à Rádio Eldorado que a Varig precisa de uma solução de mercado, o que seria, segundo ele, a única medida capaz de evitar demissões em massa na empresa. De acordo com o economista, a companhia deve priorizar o pagamento das dívidas de curto prazo e precisa eliminar esses débitos para tentar manter dinheiro em caixa no futuro. Teixeira explicou que não é somente a Varig que passa por problemas financeiros, e que a situação das companhias aéreas está difícil no mundo inteiro. A reportagem mostrou que a companhia aérea Varig negocia com fornecedores a suspensão por três meses dos pagamentos correntes, e que a empresa tenta acordo com a Infraero e a Petrobras para conseguir sobreviver. O alívio mensal com a moratória dos gastos com aluguel de aviões e combustíveis pode chegar a US$ 100 milhões. Smiles A Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) aconselha às mais de 5 milhões pessoas do programa Smiles da Varig, que emite milhas em forma de passagens aéreas, a pedirem os bilhetes o quanto antes. A técnica da Fundação Márcia Andrade afirmou que diante desta situação, a melhor saída é estar com os bilhetes em mãos, porque, mesmo que a pessoa não consiga viajar, terá um documento para comprovar o direito ao benefício. Márcia ressaltou que, caso a empresa decrete falência, a única maneira da pessoa receber o que tem direito é entrar na justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.