Varig: VarigLog entrega 1ª etapa do detalhamento da proposta

O advogado da VarigLog, João Afonso de Assis, entregou nesta quarta-feira à Justiça a primeira etapa do detalhamento da proposta de US$ 500 milhões feita na semana passada para adquirir o controle da Varig. O advogado não quis adiantar os pontos principais do documento entregue ao juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, mas admitiu que uma das questões centrais é sobre o que acontecerá com a Varig após o leilão de seus ativos principais.Pelo Lei da Recuperação Judicial, a empresa precisa oferecer um modelo que garanta sustentação à Varig "velha", o pedaço do grupo que herdará os passivos da companhia aérea. Assis não quis revelar também se no documento consta um pedido de novo adiamento de prazo para a análise da Justiça. Segundo ele, o juiz Ayoub divulgará ainda nesta quarta-feira uma nota sobre o caso Varig. O promotor de Justiça do Ministério Público do Rio, Gustavo Lunz, disse que o principal ponto que está sendo trabalhado hoje na proposta da VarigLog pela ex-controladora é a definição de como ficará a dívida da Varig, que seria transferida para a Varig antiga - que é a empresa que ficaria com 5% das ações da nova Varig. Entretanto, a Justiça do Rio e o administrador judicial da Varig da consultoria Deloitte querem a garantia de que a Varig antiga continue operando e não seja apenas uma empresa constituída para herdar os velhos débitos da companhia. Segundo Lunz o detalhamento da proposta de VarigLog deverá ser "bastante complexo", e deverá conter muitas modificações. Entre algumas das alternativas em estudo está a definição de onde ficará o programa de milhagens Smiles. "Não há sentido em deixar as milhas em uma empresa que não está voando", disse. Lunz também afirmou que o próximo passo é trabalhar em um novo edital para um eventual leilão da Varig. Vôos suspensosA Varig informou à Anac que manterá suspenso até 3 de julho os vôos que fazem do plano de emergência elaborado pela companhia na semana passada. Mais cedo, o presidente da Anac, Milton Zuanazzi havia informado que a Varig se pronunciaria sobre o assunto ainda hoje.Segundo a empresa, continuarão em operação vôos para 25 destinos no Brasil e exterior. Os destinos para o exterior mantidos foram: Frankfurt (Alemanha), Londres (Inglaterra), Miami e Nova York (EUA), Buenos Aires (Argentina), Lima (Peru), Santa Cruz de La Sierra (Bolívia), Santiago (Chile), Caracas (Venezuela), Aruba e Copenhague (Dinamarca). No Brasil, a empresa continuará voando para São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Foz do Iguaçu, Curitiba, Porto Alegre, Fernando de Noronha, Florianópolis, Macapá e Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.