VarigLog deverá mudar proposta de compra

A Justiça do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira que a Variglog deverá modificar alguns pontos de sua proposta de compra da Varig, aproximadamente em US$ 500 milhões, em audiência que deverá ser realizada na próxima segunda-feira. A administradora judicial da companhia aérea, a Consultoria Deloitte, apresentou nesta sexta à comissão de juízes responsáveis pela recuperação judicial da Varig, um relatório indicando a necessidade de adequações na oferta da ex-subsidiária de transportes. Essa mudanças giram em torno especialmente do preço mínimo proposto pela companhia, de R$ 277 milhões, que seriam destinados para a chamada Varig antiga. Essa empresa seria desmembrada da atividade principal, para herdar um passivo de R$ 7,9 bilhões. A Deloitte também pede explicações sobre como ficará a situação desta dívida. A Justiça do Rio de Janeiro ainda não marcou a data para a assembléia de credores da Varig, que votaria a proposta da Variglog e ainda não definiu quando seria realizado um novo leilão. A expectativa é de que as duas datas sejam marcadas na segunda-feira. Novo depósito Segundo fontes da VarigLog, nesta sexta foi feito um novo depósito no valor de US$ 2 milhões para a Varig. O montante será revertido para pagar o abastecimento de combustível durante o final de semana. Até agora, a ex-subsidiária já desembolsou US$ 11 milhões para custear a operação da Varig. No total, a VarigLog pretende emprestar até US$ 20 milhões até a realização de um novo leilão. Este texto foi atualizado às 14h37.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.