Variglog quer comprar operação comercial da Varig

A VarigLog apresentou na tarde de hoje proposta de compra da operação comercial da Varig. Segundo a assessoria de imprensa da VarigLog, a companhia deverá investir até US$ 350 milhões na Varig e o objetivo é possibilitar a "continuidade das atividades da mais antiga companhia aérea do Brasil". A Varig confirmou, em nota, que recebeu a proposta da VarigLog e vai apresentá-la amanhã a um grupo de credores. Segundo a assessoria da VarigLog, a operação deve "assegurar o capital de giro e reservas de caixa necessários à continuidade da Varig". Além disso, o programa de recuperação a ser deflagrado com os investimentos também visa a manutenção e recuperação das aeronaves paralisadas e a atualização das que estão voando, assim como a reconfiguração do interior das aeronaves, além do pagamento dos leasings em atraso. A VarigLog garante em nota que "o investimento a ser realizado proporcionará à companhia a possibilidade de manter 100% de suas contas em dia". Varig ainda não honrou pagamento à Infraero A Varig acertou na última sexta-feira com a Infraero - estatal que administra os aeroportos brasileiros - a retomada do pagamento diário das tarifas por operações (pouso, permanência e navegação nos aeroportos) a partir de hoje, segundo informações da assessoria da estatal. No entanto, até as 18h, não havia na empresa qualquer registro de pagamento dos R$ 900 mil que a companhia aérea deve repassar à Infraero diariamente. O reinício dos pagamentos diários, conforme relato da assessoria, foi acertado no final da semana passada entre o presidente Varig, Marcelo Bottini, e outros diretores e o novo presidente da Infraero, José Carlos Pereira, numa reunião, considerada por alguns participantes, como "muito boa". "Foi mostrado, de maneira clara, que a Infraero não pode deixar de cobrar esses débitos", afirmou ao Estado um participante do encontro. Em troca do fluxo diário das tarifas, a Infraero se comprometeu a aguardar um tempo para cobrar formalmente a dívida passada dessas tarifas, que soma cerca de R$ 116 milhões. Esse montante se refere ao período de 1º de setembro de 2005 a 14 de março de 2006, quando vigorou uma liminar da Justiça Federal do Rio de Janeiro impedindo a cobrança diária das tarifas de operação. Além da Varig, a TAM também se beneficiou da liminar. A decisão judicial, no entanto, foi derrubada no dia 23 de março pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região (RJ). A TAM, que devia cerca de R$ 90 milhões relativo ao período, já pagou o débito à Infraero e também já retomou os pagamentos das tarifas. Como está em dia, a TAM se beneficia da flexibilidade de poder recolher as tarifas aeroportuárias quinzenalmente. Se a situação de inadimplência da Varig persistir até o final deste mês, o assunto será certamente levado à deliberação do Conselho de Administração da Infraero, presidido pelo Ministério da Defesa. Prevista para ocorrer no próximo dia 28 de abril, a reunião será a primeira presidida pelo novo titular da Defesa, o ex-corregedor geral da União Waldir Pires.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.