Vasp demite 20 e pode enfrentar outra greve

O Sindicato dos Aeroviários de São Paulo(trabalhadores que operam em terra) informou que vai aceitar a demissão de 20 pessoas ocorrida nesta segunda-feira, mas que outras demissões devem ser anunciadas e a categoria estuda fazer greve. A Vasp garantiu que não haverá dispensas em massa. A presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio, participa nesta segunda de reunião com os diretores da Vasp em São Paulo, para debater os cortes e as pendências trabalhistas.Na semana passada, os aeronautas (comissários e pilotos) fizeram greve reivindicando o pagamento de salários atrasados de agosto. O presidente do Sindicato dos Aeroviários de São Paulo, Uébio José da Silva, afirmou que a greve prejudicou os próprios empregados. Segundo ele, como os cancelamentos e atrasos causaram transtornos aos passageiros, os funcionários da Vasp temem que o público deixe de voar pela companhia, agravando ainda mais a sua situação, numa reação em cadeia semelhante à ocorrida no caso Transbrasil.A Vasp reestruturou a sua malha aérea para trabalhar com menos aviões, mas o Departamento de Aviação Civil (DAC) ainda não divulgou o novo número de freqüências da companhia nos aeroportos. Alguns vôos aparecem como cancelados nos painéis dos aeroportos, embora não sejam mais previstos. Dos 31 aviões, ela opera atualmente com 22, já que os demais estão em manutenção. A Infraero informou que a Vasp operou normalmente hoje nos aeroportos de Congonhas e de Guarulhos (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.