Vasp terá dificuldades para renovar concessão de vôo em abril

O diretor geral do Departamento de Aviação Civil (DAC), Jorge Godinho, sinalizou hoje que a Vasp dificilmente terá condições de renovar a sua concessão de vôo em abril, data em que encerrará a atual autorização. Questionado por jornalistas se não era praticamente certo a não renovação em abril, já que a empresa terá que apresentar certidões de débito negativas para conseguir a nova autorização, Godinho afirmou: " A dedução é tão lógica que vocês já deram a resposta".O diretor do DAC informou que espera até o fim do dia ter todas as informações sobre a quantidade de passageiros que já compraram bilhetes da Vasp antes da decisão de cortar as rotas da empresa. Ele afirmou que contactará pessoalmente os presidentes das outras companhias aéreas para que endossem esses bilhetes.O vice-presidente da República José Alencar lamentou a retirada da empresa dos vôos comerciais, mas disse que ela não tinha mais condições de operar, pois já estava colocando em prejuízo os passageiros. "Nós todos vamos sentir falta da Vasp", afirmou. "Ela é uma companhia de 70 anos de existência e tem São Paulo em sua razão social. Mas entrou numa situação que já colocava a todos em prejuízo".Questionado se não haveria o risco da Vasp reivindicar o mesmo tipo de tratamento que está sendo analisado para a Varig, José Alencar admitiu que sim. Mas disse que para isso a Vasp teria que fazer o mesmo tipo de negociação que a Varig está fazendo, como a contratação de um banco, que no caso da Varig é o Unibanco, e uma consultoria independente para organizar um plano que tenha credibilidade para reestruturar a empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.