Petrobrás
Petrobrás

Vazamento em plataforma da Petrobrás gera mancha de 31 km no litoral do Rio

Acidente ocorreu em uma plataforma que estava desativada; segundo o Ibama, uma equipe de avião foi deslocada para monitorar extensão do problema

Anne Warth e André Borges, O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2019 | 19h27

BRASÍLIA - Um vazamento em uma plataforma de petróleo da Petrobrás derramou 1.400 litros de óleo cru no litoral norte do Rio de Janeiro. O vazamento teve início na manhã desta quarta-feira, 02. Uma mancha de 31 quilômetros se espalhou pelo mar, a cerca de 130 quilômetros da costa de Macaé.

O acidente ocorreu em uma plataforma que estava desativada, localizada no campo de Espadarte, na Bacia de Campos. O Ibama e a Petrobrás confirmaram a informação ao Estadão/Broadcast. Segundo o órgão ambiental, uma equipe de avião foi deslocada nesta quinta-feira, 3, até a região para monitorar, por meio de sensores, a extensão do problema.

O Ibama afirmou que a Petrobrás já teria controlado o vazamento. Não há ainda informações sobre a quantidade de óleo contida no tanque da plataforma, nem qual seria a causa do rompimento na estrutura, desativada desde o dia 1º de julho do ano passado.

De acordo com o Ibama, a Petrobrás comunicou o acidente à Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) ontem à tarde. Três embarcações de apoio foram deslocadas até a região para atuar na dispersão da mancha. Segundo o Ibama, após vistoria, o órgão vai aplicar as sanções previstas na legislação.

A Petrobrás informou que a plataforma teve a produção interrompida em 1º de julho do ano passado. A unidade foi afetada pela Petrobrás e operada pela Modec do Brasil.

"O Plano de Emergência foi imediatamente acionado por ambas as empresas. Medidas de controle da situação foram tomadas, cessando o referido vazamento", diz a nota enviada pela Petrobrás.

"Os órgãos reguladores foram devidamente informados e uma comissão de investigação irá apurar as causas do incidente em cooperação com a Modec." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.