Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Vázquez dá apoio à integração da Venezuela ao Mercosul

A entrada da Venezuela foi aprovada no ano passado pelos Parlamentos do Uruguai e da Argentina. No entanto, ainda falta a aprovação dos Congressos do Brasil e do Paraguai

08 de agosto de 2007 | 20h31

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, ratificou nesta quarta-feira sua intenção de que a Venezuela consiga a aprovação formal para tornar-se a quinta sócia plena do Mercosul. O anúncio foi realizado em Montevidéu, após uma reunião com o presidente venezuelano Hugo Chávez. "Somos muito favoráveis ao ingresso da Venezuela", afirmou Vázquez, um socialista moderado que chegou ao poder em março de 2005. A entrada da Venezuela foi aprovada no ano passado pelos Parlamentos do Uruguai e da Argentina. No entanto, ainda falta a aprovação dos Congressos do Brasil e do Paraguai.  A entrada no Mercosul encontrou obstáculos no Senado brasileiro. O conflito começou quando os senadores criticaram o fechamento de emissora Radio Caracas Televisão (RCTV) por ordens de Chávez. O presidente venezuelano, pouco aberto às críticas, atacou o Senado do Brasil, acusando-o de ser um "papagaio" do governo do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.  Se não bastasse o revés nessa frente de combate, Chávez deparou-se com dificuldades também no Paraguai. Lá, a aprovação da entrada da Venezuela no Mercosul empacou no Congresso.  Segundo Vázquez, a Venezuela deve entrar no Mercosul "o mais rapidamente possível, pois vai beneficiar a região". Chávez afirmou que a entrada da Venezuela foi o resultado de um acordo entre os presidentes dos quatro países do bloco. Mas ressaltou que, nos parlamentos, "houve um esfriamento inexplicável" da aprovação. Primeiro, relativizou: "São coisas do caminho, ossos do ofício. Acho que é um leve atraso, pois existe a mais firme vontade...o Brasil disse isso, por meio do chanceler Celso Amorim, que deve ir em breve à Venezuela, na semana que vem." Depois, foi mais duro: "Esse atraso já é um pouco incômodo", afirmou. Finalmente, encontrou um culpado - o de sempre: "Os Estados Unidos são os responsáveis...são a maior ameaça mundial... (George W. Bush) é o Conde Drácula do planeta!" Divisão Apesar das declarações de apoio de Vázquez, o governo uruguaio está dividido sobre o ingresso da Venezuela no bloco. Recentemente, o ministro da Economia do Uruguai, Danilo Astori, afirmou que o "estilo de confronto" de Chávez era um "aspecto preocupante" para o Mercosul. Segundo Astori - freqüentemente citado como eventual sucessor de Vázquez -, a entrada da Venezuela chavista no bloco poderia "provocar problemas" na negociação de acordos comerciais com terceiros. 

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaMercosul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.