‘Vegetais eróticos’ de Salvador Dalí são vendidos por R$ 2,4 milhões

Aquarelas do gênio do Surrealismo feitas sob encomenda em 1969 utilizam técnica de desenho da ciência botânica

18 de junho de 2013 | 16h11

LONDRES - Quatorze aquarelas do pintor espanhol Salvador Dalí (1904-1981), que misturam frutas e motivos eróticos, foram vendidas por R$ 2,45 milhões em leilão inédito em Londres nesta terça-feira.

A série de trabalhos do gênio do Surrealismo foi o centro de todas as atenções na casa de leilões Bonhams, que concentrou as joias impressionistas e modernas, incluindo obras de Auguste Rodin, Pablo Picasso e Henri Matisse, entre outros.

   

Definidas como "sinistras e eróticas" pela casa de leilões, as aquarelas de Dalí, feitas por encomenda em 1969, foram oferecidas pela primeira vez ao público. Elas mostram diferentes frutas humanizadas pelas mãos do pintor, que lhes imprime movimento humano e joga com suas formas para insinuar a presença de órgãos sexuais.

"As aquarelas nunca antes foram vistas em um leilão e mostram a capacidade de Dalí para humanizar os objetos, uma técnica que mostra seu talento para ver as coisas em lugares onde ninguém as via", disse William O'Reilly, especialista en Impressionismo da casa de leilões Bonhams.

Ameixas, pêssegos, amoras, morangos e outras frutas aparecem na série de aquarelas exercendo o papel de cavaleiros medievais ou mostrando seu interior em cenas que, às vezes, o pintor espanhol inclui personagens literários, como Don Quixote.

As obras sempre permaneceram na coleção privada de um mesmo dono até hoje, quando finalmente foram separadas ao serem vendidas para diferentes compradores privados internacionais, cujas identidades não foram reveladas.

Apesar de todas serem oferecidas por um preço de saída de R$ 130 mil a R$ 200 mil, a venda teve resultados díspares e somente a primeira das obras ultrapassou o valor máximo de saída.

'Runier hâtif' foi a exceção, vendida por R$ 309 mil, enquanto o outro extremo ficou com 'Pamplemousse érotique', vendido por R$ 126 mil, preço abaixo do previsto,

Em todos os desenhos é possível perceber como os desenhos de Dalí seguem as diretrizes dos desenhos usados pela ciência botânica do século XIX, o que faz com que as aquarelas tenham reminiscências de ilustrações científicas.

O gênio surrealista fez os desenhos a pedido do editor Jean Schneider, na Basiléia, Suíça. Elas não foram expostas ao público até novembro do ano 2000, quando o proprietário aceitou mostrá-las na galeria Orangerie-Reinz, em Colônia, na Alemanha. A galeria comprou as aquarelas e ficou comelas atpe agora, quando decidiu vendê-las em leilão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.