Veículos elétricos podem custar o dobro

Bateria sempre foi o calcanhar-de-aquiles so setor

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

24 Setembro 2016 | 17h00

HANNOVER - A bateria, que é o coração dos carros elétricos, sempre foi considerada o calcanhar de aquiles da indústria automobilística no desenvolvimento desses produtos, por causa da sua dimensão e dos custos. Mas, agora, já é possível dizer que o problema da baixa durabilidade das baterias está praticamente solucionado para o uso nas cidades, porque a autonomia chega atualmente aos 200 quilômetros.

O preço, porém, ainda é elevado, pois um veículo 100% elétrico pode custar quase o dobro de um movido a diesel. Mas os defensores da tecnologia ressaltam que o valor é amortizado em três a quatro anos com a redução de custos operacionais. A falta de infraestrutura é também impeditiva para diversos mercados, especialmente os de países em desenvolvimento, como o Brasil.

Mais conteúdo sobre:
Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.