Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Veja alguns serviços que foram afetados em SP por causa da paralisação dos caminhoneiros

Serviços de saúde e educação funcionam normalmente, segundo a Prefeitura

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2018 | 12h04

SÃO PAULO - Por causa da paralisação dos caminhoneiros no país e consequentemente a falta de combustível, alguns serviços na cidade São Paulo como a circulação de ônibus e a coleta de lixo estão prejudicados nesta sexta-feira, 25.

Com aval da Prefeitura, as empresas de ônibus da capital rodam com 40% da frota no horário de entrepico. Mais cedo, no horário de pico, cerca de 60% da frota de ônibus rodou na cidade. O rodízio municipal de veículos está suspenso durante todo o dia.

+++ 'Entendemos os motivos da greve', diz prefeito Bruno Covas

Segundo a Prefeitura, todas as regiões da cidade foram afetadas pela falta de ônibus na manhã desta sexta-feira. As zonas Norte, Leste (região de São Miguel) e Sul (Sacomã, Parelheiros, Varginha, Grajaú e Jardim Ângela) eram as mais prejudicadas. Todas as bases de distribuição de combustível para as empresas de ônibus do município permanecem fechadas.

Em apoio à paralisação dos caminhoneiros, houve manifestação de motoristas de vans escolares e Transporte Escolar Gratuito (TEG), na manhã desta sexta-feira, que prejudicaram o serviço em especial na região sul da cidade. A paralisação de condutores de vans afetou principalmente o atendimento nas regiões de Freguesia, Brasilândia, Pirituba, Jaraguá e Capela do Socorro.

Apesar da paralisação dos motoristas de vans, a Secretaria Municipal de Educação informou que as aulas estão mantidas em toda a rede e que a merenda escolar está garantida. A partir de segunda-feira, no entanto, pode haver impacto na entrega de produtos perecíveis.

A coleta de lixo (comum e recicláveis)está suspensa nesta sexta-feira. Segundo a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), o serviço, a maior parte realizado à noite, está prejudicado, mas ainda pode ser normalizado ao longo desta sexta-feira. 

Os serviços de limpeza urbana como a varrição de vias e logradouros estão reduzidos. Serviços críticos como a limpeza após as feiras, recolhimento de animais mortos e coleta de resíduos hospitalares serão executados normalmente.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo afirmou que ainda negocia com os sindicatos dos caminhoneiros e das empresas de transporte de cargas para fazer valer a liminar obtida na quinta-feira. 

Durante a madrugada, tentou-se obter 600 mil litros de combustível para as concessionárias de ônibus em Paulínia, mas não foi possível por temor dos motoristas dos caminhões-tanque de sofrerem retaliações futuras. Também não foi possível obter 180 mil litros de combustível em São Bernardo, que seriam utilizados pelas concessionárias da coleta de lixo.

A Prefeitura informou também que os serviços de Saúde funcionam normalmente nesta sexta-feira, apenas com faltas pontuais de funcionários que tiveram dificuldades de chegar ao trabalho. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.