Veja os piores eventos no mercado societário

Analistas de mercado de capitais elegeram a oferta pública inicial de ações da IdeiasNet como o pior evento societário de 2000. A escolha foi feita em pesquisa realizada pelo serviço Cias Abertas, da Agência Estado. A eleição ocorreu por meio de voto livre e secreto. De acordo com analistas, a IdeiasNet escolheu um mau momento para realizar a operação. A oferta foi feita em junho deste ano, época em que seu setor de atuação - Internet - já vinha sentindo os abalos das quedas da Nasdaq - bolsa norte-americana de tecnologia.A empresa lançou 3 milhões de ações ordinárias, que fecharam o primeiro pregão valendo R$ 14,21 cada. Desde então, os papéis acumulam queda de quase 80%. Contribuiu também para o recuo, segundo os analistas, a falta de transparência da companhia na divulgação de informações ao mercado. O diretor de Relações com Investidores da IdeiasNet, Rondon Pacheco Pinto, afirma que as medidas necessárias para reverter esse quadro estão sendo tomadas, como os encontros com analistas para estreitar relações.Segundo pior eventoA pesquisa revelou que o segundo pior evento foi a proposta de incorporação da BR Distribuidora pela Petrobrás por meio de permuta de ações. A operação foi contestada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Segundo a autarquia, a Petrobrás deveria primeiro realizar uma oferta pública para fechar o capital da BR e depois promover sua incorporação. A companhia já entrou com recurso contra a decisão da autarquia. Terceiro pior eventoO terceiro lugar na votação geral ficou com a oferta pública pelas ações da companhia de energia Geração Tietê. A controladora AES decidiu comprar todos os papéis da Tietê em mercado. Para os analistas, os preços ficaram abaixo de seu valor econômico e o processo ainda não contou com a transparência devida.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2000 | 17h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.