Vejo riscos de deterioração para o Japão, diz Kiuchi

O membro do conselho do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Takahide Kiuchi, deu uma avaliação um pouco pessimista sobre as perspectivas para a economia japonesa em meio à uma desaceleração nas economias emergentes. Ele reforçou a sua preocupação com o compromisso do banco central de atingir a meta de inflação de 2% em dois anos por meio de uma flexibilização agressiva.

AE, Agencia Estado

19 de setembro de 2013 | 02h17

"Eu vejo mais riscos de deterioração da economia, principalmente em função das incertezas nas economias do exterior, especialmente nos países emergentes", afirmou Takahide Kiuchi, durante reunião com os líderes de negócios na cidade de Bali, na ilha de Hokkaido.

Além disso, Kiuchi disse que uma combinação entre uma flexibilização da política monetária agressiva e o compromisso do banco central para atingir a meta de inflação em dois anos aumenta os efeitos colaterais sobre a economia japonesa.

Durante a reunião de política monetária do BOJ, no início de setembro, Kiuchi afirmou mais uma vez que o compromisso do BC em atingir a meta da inflação poderia ser mais flexível, demonstrando preocupação de que a manutenção da taxa de juros por um longo período poderia ter efeitos adversos sobre a economia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãokiuchiboj

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.