Vence prazo de carência dos fundos Petrobrás

Vence hoje o prazo inicial de carência para quem aplicou em fundos da Petrobrás com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ou comprou as ações à vista há seis meses. Ao contrário dos optantes que investiram recursos, os investidores que aplicaram por meio da compra direta de ações da estatal podem transferir seu capital livremente, mas contarão com metade do desconto de 20% dado a quem ficar com as ações por um ano. O analista de Investimentos da Corretora Novação, Felipe Laier, recomenda que o acionista mantenha os papéis até agosto para obter o desconto total. Laier acredita diz que muitas pessoas que não costumavam investir em ações aplicaram pela primeira vez por meio desse investimento. "Nesse caso, o investidor deve procurar transferir uma parcela de seus recursos, pois quando se investe em Bolsa, é arriscado concentrar o capital em uma única ação", diz. Segundo o analista, o investidor que estiver atento ao mercado não correrá maiores riscos. A ação ordinária (ON, com direito a voto) da estatal, que forma os fundos, ainda deve render cerca de 20% até agosto, de acordo com Laier. Para quem investiu recursos do FGTS, há a opção de se retirar o capital aplicado e usá-lo na compra ou quitação da casa própria. O diretor de Recursos de Terceiros da Caixa Econômica Federal, Jorge Ávila, diz que o optante não deve ter ansiedade. "Se aguardar, em agosto ele poderá comprar o imóvel e ainda terá alguma sobra", afirma. Com o bom lucro apresentado pela Petrobrás em 2000 - divulgado na sexta-feira, de R$ 9,9 bilhões - deve aumentar a procura pela a ação da empresa. Segundo Ávila, o rendimento em agosto deve ser cerca de 25% maior se o comparado com o do capital retirado hoje. Os fundo da Petrobrás com recursos do FGTS rendem, em média, 69,58%; os fundos com recursos próprios, 70,72%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.