Vencedores do ‘Top Imobiliário’ serão conhecidos nesta quarta-feira

Criado e concedido pelo 'Estadão', o prêmio reconhece as empresas da capital e região metropolitana que se destacaram no ano anterior

O Estado de S.Paulo

08 Junho 2016 | 08h09

Considerada a mais importante premiação do setor, o Top Imobiliário será entregue hoje à noite em evento em São Paulo. Criado e concedido pelo Estadão, o prêmio reconhece as empresas da capital e região metropolitana que se destacaram no ano anterior nas categorias incorporadoras, construtoras e vendedoras. Os dados são levantados pela Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), também responsável pelo score final. A pontuação em cinco quesitos - lançamentos, número de blocos, unidades, área de construção e valor geral de vendas - compõe o ranking final das dez empresas mais atuantes nas três categorias. 

Neste ano, 197 construtoras, 284 incorporadoras e 228 vendedoras concorreram. O setor lançou 40.177 unidades residenciais em 2015, com valor geral de vendas de R$ 17,3 bilhões. “Esse VGV demonstra a imponência do setor apesar da retração no volume de lançamentos”, diz a coordenadora de pesquisa e análise de mercado da Embraesp, Samantha Furlan. A redução foi resultado do cenário de recessão, marcado por desemprego, crédito imobiliário mais escasso e distratos. Para enfrentar os obstáculos, as empresas refizeram estratégias (dando ênfase a empreendimentos voltados para segmentos econômicos, incluindo aqueles enquadrados no programa Minha Casa Minha Vida), seguraram lançamentos e fizeram promoções para reduzir os estoques. 

O Sindicato da Habitação (Secovi-SP) computou a venda de 20.148 apartamentos novos em 2015, resultado 6,6% abaixo do ano anterior. A faixa até R$ 225 mil foi a única que registrou crescimento, com 4.924 moradias vendidas - 24% do total. Em 2014, eram 12%. “Nessa faixa de preço, a oferta é pequena, mas há maior demanda”, diz o economista-chefe do Secovi, Celso Petrucci.

Entre os lançamentos de 2015, o menor valor registrado foi R$ 149 mil, por unidade de 41 m² em empreendimento na zona leste da cidade, em que o metro quadrado saiu por R$ 3,6 mil. Na outra ponta, a Embraesp chegou a registrar imóveis de alto padrão com valor do metro quadrado de R$ 24 mil. 

À noite, a partir das 19 horas, no Espaço Charlô (Rua Tabapuã, 1.353 - Itaim Bibi), o mercado vai conhecer os vencedores em cada categoria, na premiação que este ano homenageia Adolpho Lindenberg, da construtora criada em 1954 e que leva seu nome. Lindenberg tem 92 anos e ergueu com sua empresa, marcada pelo alto padrão, 8 milhões de metros quadrados e 5 mil apartamentos.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Estadão Secovi Imóvel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.