Vencimentos mantêm dólar alto

Sem fluxo positivo e sem novidades de peso nos noticiários interno e externo, o mercado de câmbio operou motivado mais por movimentos técnicos e restrito a operações de tesourarias hoje. A alta do dólar, que chegou a 3,41%, com a cotação batendo em R$ 3,79, teve como principal motivo a proximidade dos vencimentos de contratos futuros de outubro (com início de operações para rolagem) e de títulos cambiais em 1º de outubro, de US$ 1,25 bilhão.Como o mercado sabe que esses vencimentos estão próximos e de alguma forma vão mexer com os negócios, há pressão de compra antecipada, já que a trajetória é de alta. Só não seria assim se houvesse alguma expectativa de que entrassem recursos novos no País. Mas isso não está ocorrendo. O único vendedor de dólares do mercado continua sendo o Banco Central (BC), segundo analistas.Corroborando essa avaliação, o BC divulgou há instantes os números do fluxo cambial acumulado neste mês, mostrando até ontem um saldo total das operações negativo em US$ 242 milhões. Pelas CC-5 (contas de não-residentes em dólar), houve saídas de US$ 1,164 bilhão. No segmento comercial, o saldo é positivo em US$ 2,302 bilhões e, no financeiro, as saídas superam as entradas em US$ 1,370 bilhão.Na manhã de hoje, o Banco Central teria atuado no mercado à vista em pelo menos dois momentos. Segundo os operadores foi durante as intervenções do BC que a cotação da moeda norte-americana orbitou em torno da mínima de R$ 3,71 (+1,23%), que foi registrada logo na abertura. A autoridade monetária atuou também por meio de um leilão de linha de exportação no qual vendeu US$ 26 milhões.Já a Bolsa voltou a mostrar algum alívio nesta manhã, motivada principalmente pela reação das bolsas nos EUA. No entanto, os investidores seguem apreensivos com a indefinição eleitoral e com a persistente alta do dólar, o que inibe uma recuperação mais consistente do mercado de ações. Segundo operadores, a mudança de humor em Nova York está ajudando a Bovespa a se manter em campo positivo. A divulgação de indicadores econômicos melhores do que o esperado nos EUA esta manhã sustentou a alta das bolsas, mas o temor de uma guerra entre EUA e Iraque continua pesando. Internamente, as apreensões são as mesmas dos últimos dias. O mercado continua aguardando uma definição do quadro eleitoral. A apenas 10 dias das eleições, ainda não se pode prever com segurança se haverá ou não segundo turno. MercadosÀs 15h30, o dólar comercial era vendido a R$ 3,7600, em alta de 2,59% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,7100 e R$ 3,8000. Com esse resultado, o dólar acumula uma alta de 62,35% no ano e de 21,49% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 21,600% ao ano, frente a 21,720% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 25,650% ao ano, frente a 25,750% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em queda de 0,29% em 9200 pontos e volume de negócios de R$ 312 milhões. Com esse resultado, a Bolsa acumula uma baixa de 32,24% em 2002 e de 8,88% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 13 apresentam altas. O principal destaque são os papéis da Telesp Celular PN (preferenciais, sem direito a voto), com valorização de 4,17%. ON (ordinárias, com direito a voto). Dentre as quedas, a maior é da Net PN, que cai 11,76%. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - operava em alta de 1,21% (a 7936,4 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -cai 0,18% (a 1220,09 pontos). O euro era negociado a US$ 0,9779; uma alta de 0,01%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, estava em alta de 0,80% (383,16 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.