Venda de ações emergentes por fundos internacionais bate recorde

Fundos de investimentos venderam em junho mais de US$ 15 bilhões em ações de países emergentes, ou 2,3% dos seus ativos, que totalizam cerca de US$ 670 bilhões. A consultoria Emerging Portfolio Fundo Research (EPFR) informou que esse foi o maior fluxo negativo nesses portfólios desde que começou a monitorar esses mercados em 1995. Além disso, os fundos venderam US$ 4,2 bilhões de ações européias e US$ 3,6 bilhões de ações de grupos asiáticos. A venda de ações superou a marca do US$ 1 bilhão em cada um desses oito mercados: Brasil, Japão, Reino Unido , México, Rússia, Coréia do Sul, Índia, e Taiwan. Em dezoito países - entre eles o Brasil - a venda de ações bateu seu recorde mensal. A EPFR observou que os mercados dos países Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) tiveram um mês particularmente difícil em junho. As vendas combinada das ações desses países somou US$ 5,29 bilhões.No entanto, ao longo do mês de julho, os fluxos para esses fundos acionários expostos aos emergentes iniciaram uma recuperação. Entre os dias 29 de junho e 26 de julho os portfólios dedicados a América Latina atraíram US$ 307,7 milhões.ExposiçãoOs fundos acionários Global/Internacional reduziram em junho sua exposição à Ásia e aos Estados Unidos, e a aumentaram na América Latina e Europa. No final de junho, a lista dos países com as dez maiores alocações nos fundos acionários Global Emerging Markets (GEM) eram, pela ordem: Coréia do Sul, Brasil, Taiwan, Rússia, África do Sul, China, México, Índia, Tailândia e Turquia. O Brasil continua contando com a maior posição overweight (acima da média do mercado) nesses fundos, 2,5% acima da média, seguido pela Tailândia e Turquia.BônusJá os fundos dedicados aos bônus emergentes escolheram a América Latina para centralizar seus saques em junho. Os bônus da região foram responsáveis por metade do volume de vendas da dívida emergente. Os países que contam com as dez maiores alocações nesses fundos são, pela ordem: Brasil, Rússia, México, Argentina, Venezuela, Filipinas, Turquia, Indonésia, Colômbia e Peru.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2006 | 16h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.