Gene J. Puskar/ AP
Gene J. Puskar/ AP

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Venda de ações pelo 3G derruba ações da Kraft

Redução na participação da 3G na Kraft ocorre em um momento em que a companhia enfrenta dificuldades para recuperar resultados e de mudança nos hábitos dos consumidores em direção a produtos mais saudáveis

Redação, Reuters

17 de setembro de 2019 | 22h27

As ações da Kraft Heinz caíam mais de 4% na terça, 17, fechando a US$ 28,36, após o segundo maior investidor da companhia de alimentos, o 3G Capital (dos brasileiros fundadores da Ambev), vender 25 milhões de papéis com desconto.

Em documento enviado ao mercado na segunda, o 3G informou a venda de 25,1 milhões de ações da Kraft a US$ 28,44 por ação, valor mais baixo que o preço na Bolsa, que estava então em US$ 29,62.

A operação movimentou US$ 713 milhões e reduziu a participação da 3G Capital na Kraft de 22,14% para 20,1%. O grupo de investidores continua a ser o segundo maior investidor na companhia americana, atrás da Berkshire Hathaway, do megainvestidor Warren Buffett.

“A venda foi motivada por janelas periódicas de liquidez para os investidores do 3G no fundo que concentra as ações da Kraft Heinz”, disse um porta-voz da Kraft Heinz, adicionando que a 3G não tem intenção de vender nenhuma ação adicional da empresa.

Em operação separada, Jorge Paulo Lemann, cofundador da 3G e membro do conselho da gigante dos alimentos, revelou que comprou 3,5 milhões de ações da empresa por cerca de US$ 100 milhões.

A redução na participação da 3G Capital na Kraft ocorre em um momento em que a companhia enfrenta dificuldades para recuperar resultados e de mudança nos hábitos dos consumidores em direção a produtos mais saudáveis. 

Tudo o que sabemos sobre:
Heinz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.