Venda de aviões compensará desaceleração de exportações, diz Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse, nesta segunda-feira, acreditar que as exportações de aviões serão mais fortes no segundo semestre, compensando algum eventual efeito na desaceleração das vendas externas do Estado de São Paulo no ano até maio. "A própria Embraer admitiu que as entregas estão concentradas na segunda metade do ano, principalmente pela demanda da nova série 170 e 190", informou.Segundo dados compilados pelo governo paulista, as exportações de São Paulo cresceram 16,8% em maio sobre o mesmo mês de 2004. Na mesma base de comparação, as vendas externas brasileiras subiram 23,6%. Mas o Estado também registrou importações bastante inferiores à média nacional. O aumento de estadual compras do exterior foi de 14,6%, ante 31,8% do Brasil. Isso explica, sempre na mesma base de comparação, o incremento de 25,8% no saldo positivo da balança comercial paulista ante 10,9% do País.O levantamento mostra ainda que a participação de São Paulo no total exportado pelo Brasil caiu de 33,7%, em maio de 2004, para 31,8%, em maio de 2005. Quando se compara o período janeiro a maio de 2005 e janeiro a maio do ano passado, as exportações paulistas cresceram 25,2%, ante 27,9% do Brasil. Na ponta importadora e ainda na mesma base de comparação, São Paulo teve alta de 11,3%, contra 22,2% do País, e o saldo comercial paulista cresceu 216,7% no período ante 39,6% no Brasil.Aviões e automóveis são os principais produtos exportados pelo Estado. De acordo com o levantamento, os produtos que registraram maior crescimento de vendas, de janeiro a abril, foram motores a diesel (200%), terminais portáteis de telefonia celular (197%) e açúcar de cana em grupo (180%), sempre na comparação com o mesmo período do ano passado.Na 5ª Reunião do Conselho Estadual de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Cericex) do governo do Estado de São Paulo, da qual participou o ministro Furlan, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou a Mesa de Operações Internacionais, ferramenta de apoio aos exportadores de menor porte. O evento marcou também o início dos serviços da Rede de Centros de Informações de Comércio Exterior do governo federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.