Venda de carros de até R$ 27 mil cresce 49%

Embora tenha perdido participação nas vendas totais de automóveis, hoje na casa dos 50%, os modelos populares ainda são o motor do mercado, avalia o consultor José Eduardo Favaretto. Estudo de sua autoria aponta que as vendas de carros novos com preços de até R$ 27 mil - também chamados de veículos de "entrada", os mais baratos de cada marca - cresceram 49% nos últimos dois anos, enquanto o comércio de todos os automóveis cresceu 34,5%."É o segmento mais dinâmico do mercado", afirma Favaretto. Pelos seus cálculos, esses modelos serão responsáveis por 34% do crescimento das vendas totais do setor em 2007. O mercado deve crescer cerca de 27% em relação ao ano anterior, atingindo venda recorde de 2,45 milhões de veículos.Foram considerados nos cálculos os modelos Mille Fire, Ka One, Palio Fire, Celta Life e Spirit e Gol City, cujas vendas este ano somam 620 mil unidades. "O consumidor desse segmento é muito sensível a preço e qualquer mudança pode afetar o desempenho das vendas", afirma Favaretto. Segundo ele, se o IPI subisse 5 pontos, conforme a proposta de unificar a alíquota em 12%, esses carros ficariam 6% mais caros. O presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave), Sérgio Reze, também é contrário à unificação, mas por razões diferentes. De acordo com ele, a maior parte das vendas de modelos básicos hoje não é feita para o consumidor pessoa física, mas para locadoras e frotistas."Quem o governo quer beneficiar, o povão ou a elite?", questiona o executivo. Segundo ele, locadoras e frotistas já conseguem das montadoras descontos médios de 30% nos preços, além de pagar menos IPVA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.