Venda de casas usadas nos EUA fica 14% abaixo do estimado de 2007 a 2010

Dura revisão mostrou que o golpe sobre o setor é bem pior do que o inicialmente previsto

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

21 de dezembro de 2011 | 13h35

WASHINGTON - As vendas de residências usadas subiram 4% em novembro nos EUA em comparação com o mês anterior, para um número sazonalmente ajustado de 4,42 milhões, informou nesta quarta-feira a Associação Nacional de Corretores de Imóveis. Economistas esperavam um aumento mensal de 2,0%. Os números dos últimos anos, porém, foram revisados pela entidade para baixo: as vendas de residências usadas de 2007 a 2010 estavam 14% menores que o inicialmente informado. A dura revisão mostrou que o golpe sobre o setor é bem pior do que o inicialmente previsto.

A entidade revisou para baixo seus números de vendas de residências desde 2007, usando dados do Censo para recalcular o número de casas negociadas.

As vendas para 2011 estavam no caminho para atingir em torno de 4,25 milhões, um pouco acima do nível do ano passado de 4,19 milhões, que foi revisado em 15% para baixo, segundo Lawrence Yun, principal economista da associação.

Os novos números da entidade mostram também que 2008 foi o pior ano para a venda de casas durante a crise, com apenas 4,11 milhões delas comercializadas. O número é uma redução de 19% em relação à estimativa anterior, de 4,91 milhões.

As vendas de casas nos primeiros 10 meses do ano também foram revisadas para baixo. As vendas de outubro foram cortadas para 4,25 milhões na taxa anualizada, de uma estimativa original de 4,97 milhões.

Yun citou várias razões para as revisões. Segundo ele, a entidade estava contabilizando em demasia vendas que não estavam incluídas nos serviços regionais e locais em que ela normalmente pesquisa.

Os preços médios em novembro estavam em US$ 164.200 em novembro, uma queda de 3,5% dos US$ 170.200 registrados há 12 meses. O número de casas usadas à venda caiu 5,8% no fim de novembro, para 2,58 milhões.

A associação mostra que as vendas subiram no mês passado em comparação ao anterior, em todas as quatro regiões dos EUA. As vendas subiram 9,8% no Nordeste, e 4,3% no Meio-Oeste. Elas registraram alta de 3,6% no Oeste e de 2,4% no sul. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.