Venda de combustíveis cai 9,4%

Os mais recentes dados sobre as vendas de combustíveis no País desanimam quem acreditava em retomada do consumo a partir da virada do ano, como as distribuidoras e a própria Petrobras. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), houve uma queda nas vendas de 9,4% em janeiro, com relação ao mesmo mês de 2003. Os números são contestados pelas grandes distribuidoras, que registram uma pequena alta em janeiro. O IBGE confirma a tendência apontada pela ANP e indica uma queda de 0,6% nas vendas. De qualquer forma, todos confirmam que o mercado de combustíveis não reagiu conforme se esperava no final do ano passado. "O início do ano foi frustrante porque todos esperavam uma retomada que não aconteceu", diz o diretor-superintendente da Ale Combustíveis, Cláudio Zattar. Especialistas no setor debitam o mau momento à crise econômica e ao aumento das fraudes. "A adulteração é um reflexo da crise, pois o achatamento da renda leva o consumidor a procurar produtos mais baratos e que, nem sempre, são de qualidade", avalia o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura (CBIE). Se continuar neste ritmo, o consumo de combustíveis em 2003 será inferior ao de 1996, quando as vendas totalizaram cerca de 77 bilhões de litros. Em 2003, o consumo nacional foi de 83 bilhões de litros, volume 5,2% inferior ao registrado em 2002. Desde 1999, o mercado de combustíveis só retrocede.

Agencia Estado,

30 Março 2004 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.