Venda de combustíveis cresce em ritmo lento em janeiro

As vendas de combustíveis líquidos pelas distribuidoras continuaram em ritmo lento em janeiro, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, 12, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo a ANP, as vendas de derivados de petróleo e de álcool hidratado em janeiro totalizaram 7,2 bilhões de litros no primeiro mês do ano, com aumento de 2% em relação a janeiro de 2006. No período acumulado em 12 meses até janeiro, sobre igual período anterior, a variação atingiu 1,82%, abaixo do crescimento de 2,05% computados nos 12 meses do ano passado, que já era considerado fraco pelos técnicos do setor.O maior aumento nas vendas em janeiro foi de óleo combustível, com volume de 452 milhões de litros, com variação de 17,37% sobre janeiro de 2006. As vendas desse tipo de óleo, um dos mais poluentes entre os derivados de petróleo, vinham recuando há seis anos, mas nota-se uma retomada desde meados do ano passado. Em janeiro de 2000, por exemplo, as vendas de óleo combustível somaram 858 milhões de litros, com queda gradativa desde então, até atingir o menor patamar em janeiro do ano passado, quando caíram para 385 milhões de litros. O óleo combustível estava sendo substituído pelo gás natural, mas a Petrobras não tem conseguido ampliar a oferta do gás, o que deve estar levando as indústrias a retomar o combustível antigo.As vendas de óleo diesel, outro combustível com grande consumo no setor industrial, registraram queda, com recuo de 0,58% em janeiro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado. As vendas de diesel, o principal produto comercializado pela Petrobras, somaram 2,918 bilhões de litros em janeiro, considerando o diesel puro e o misturado ao biodiesel. A comercialização desse combustível começou a ser detalhada pela ANP há três meses e, em janeiro, a venda do B2 (diesel misturado ao biocombustível) somou 516 milhões de litros. As vendas do óleo puro totalizaram 2,402 bilhões de litros.ÁlcoolNo transporte de veículos leves, o grande destaque continuou sendo o álcool hidratado, cujas vendas continuam em forte expansão. Em janeiro foram comercializados 532 milhões de litros do combustível, com aumento de 7,33% sobre janeiro do ano passado. No período acumulado de 12 meses até janeiro, as vendas do álcool registram avanço de 28,16%. A recuperação das vendas do combustível tem sido consistente nos últimos cinco anos e o total comercializado atualmente já é mais do que o dobro do registrado em meados de 2001. Naquele período as vendas do combustível oscilavam em torno de 270 a 280 milhões de litros mensais, com participação de apenas 3,50% no grupo de combustíveis acompanhados pela ANP. O volume comercializado se acelerou no final de 2005, com o sucesso dos carros flexfuel (bicombustíveis). No final daquele ano, a comercialização do combustível alcançou os 400 milhões de litros mensais, subindo para o patamar atual ao redor de 500 milhões de litros mensais.Já o total vendido de gasolina C, que leva a mistura de 23% de álcool anidro, somou 1,891 bilhão de litros, com aumento de 1,41% em relação a janeiro de 2006. Gradualmente, nota-se que o álcool tem se beneficiado mais do que a gasolina do forte aumento nas vendas de automóveis nos últimos anos no País.GásO GLP, ou gás de cozinha, registrou aumento de 5,44% nas vendas em janeiro de 2007 em relação observado 12 meses antes, com a comercialização de 946 milhões de litros equivalentes. As vendas de GLP estão estabilizadas nesse patamar desde o início da década.Em janeiro de 2000, por exemplo, a comercialização do combustível somou o equivalente a 948 milhões de litros, subindo para 1,005 bilhão em janeiro de 2001 e atingindo o recorde de 1,123 bilhão em agosto daquele ano. Desde então, porém, as vendas oscilam entre 950 milhões e 1 bilhão de litros mensais.As vendas de querosene de aviação somaram 442 milhões de litros em janeiro, com aumento de 10,98% sobre igual período do ano passado. Esse foi o maior volume comercializado em apenas um mês do combustível, desde o início de 2000. Os dados da ANP mostram uma recuperação consistente nos últimos seis meses, restabelecendo-se da crise da aviação brasileira no início do ano passado, com a quebra da Varig.Os outros combustíveis acompanhados pela ANP, como a querosene iluminante e a gasolina de aviação, têm movimentos bastante inferiores aos dos demais derivados de petróleo. As vendas de querosene iluminante somaram 3,22 milhões de litros em janeiro, com queda de 28,33% sobre janeiro do ano passado. Já o mercado de gasolina de aviação movimentou 4,192 milhões de litros, com queda de 6,41% sobre janeiro de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.