Venda de imóveis usados cresce 0,9%; aluguel recua 1,5%

As vendas de imóveis usados ficaram praticamente estáveis em maio no Estado de São Paulo, tomando como base abril, com o crescimento de 0,9% no índice. O dado, divulgado nesta terça-feira pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), mostrou que, em números efetivos, o crescimento representou a comercialização de 1.038 casas e apartamentos nas localidades pesquisadas. "É pouco, porém melhor do que uma redução de vendas e indica uma estabilidade no mercado", avaliou o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto. E a estabilidade, para ele, representa a força que o mercado de usados lutou para se manter em expansão depois de ter registrado, em abril, o quase nulo crescimento de 0,08%, na comparação a março. Das quatro regiões pesquisadas, duas registraram desempenho negativo e duas positivo. Na capital, houve alta de 5,89% e no Interior, de 2,91%. Na região formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco, esse índice sofreu queda de 4,91% em maio, recuando também no Litoral, em 3,91%.Os imóveis mais vendidos foram os de valor até R$ 100 mil, com representatividade de 56,50% do total na capital; 68,11% no Interior; 66,45% no ABCD, Guarulhos e Osasco; e 66,16% no Litoral, segundo os dados levantados pela pesquisa CRECI-SP. Locação caiA pesquisa também mostrou que o número de propriedades alugadas no período foi 1,5% menor que o apurado em abril. O índice de locação baixou de 2,2436 em abril para 2,2099 em maio com o aluguel de 3.390 imóveis em 1.534 imobiliárias das 37 cidades pesquisadas. Na capital, houve uma alta de 11,81%; no ABCD, Guarulhos e Osasco, alta de 1,91%; no Interior, baixa de 8,56%; e no Litoral, queda de 4,89% no total de alugados. Os imóveis mais procurados foram os de valor até R$ 600 - somaram 68,42% do total de novos contratos assinados na Capital; 82,90% no Interior; 69,88% no Litoral; e 90,86% no ABCD, Guarulhos e Osasco. Os índices de inadimplência apurados em maio pelo CRECI-SP caíram em relação a abril, tanto no Litoral (-9,57%) como no ABCD, Guarulhos e Osasco (-10,63%). Já na capital, houve aumento de 5,27% e, no Interior, de 1,66% .

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.