Venda de material de construção tem 5º mês consecutivo de queda

O comércio varejista de material de construção apresenta resultados negativos nas vendas há cinco meses consecutivos. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor acumulou uma queda de 5% nas vendas no primeiro semestre deste ano, na direção contrária a do varejo em geral, que cresceu 4,6% no período.Para o recém-criado Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV), que reúne as maiores redes varejistas do País, os recuos consecutivos nesse segmento "não teriam passado despercebido em qualquer outra economia onde as políticas públicas têm maior proximidade com a economia real e medidas compensatórias já estariam sendo formuladas".Jorge Gonçalves, diretor-geral da rede Casa e Construção, avalia que as vendas do segmento no primeiro semestre foram prejudicadas pela falta de uma reação mais forte na renda, já que as despesas dos consumidores ficaram comprometidas com tarifas e pagamento de dívidas feitas no final do ano passado.Na comparação com iguais meses do ano passado, o segmento de materiais de construção apresentou crescimento em janeiro (1,06%), estabilidade em fevereiro (0,03%) e despencou as vendas em 10,25% em março, apresentando resultados negativos a partir daí até junho (-5,5%), segundo os últimos dados divulgados.A solução para este cenário, de acordo com o IDV, além de providências mais gerais como a redução da taxa de juros, são "medidas de ordem microeconômica" mais eficazes para impulsionar a construção habitacional, como a desoneração tributária e a "execução de planos mais efetivos" de financiamento do consumidor de bens e serviços para a construção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.