Venda de moradias usadas nos EUA tem pior resultado em 13 anos

Apesar de recuperação em dezembro, resultado de todo o ano passado foi o pior desde 1997

Danielle Chaves, da Agência Estado

20 de janeiro de 2011 | 13h26

As vendas de moradias usadas nos EUA cresceram mais do que o esperado em dezembro de 2010, mas o resultado de todo o ano passado foi o pior desde 1997. Em dezembro houve aumento de 12,3% nas vendas, em comparação com novembro, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 5,28 milhões de unidades, segundo a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis. Economistas ouvidos pela Dow Jones previam alta de 4,7%, para 4,9 milhões.

No entanto, o mercado imobiliário permanece sendo um ponto fraco na economia norte-americana, que está lentamente saindo de uma severa recessão. Em todo o ano passado, cerca de 4,9 milhões de casas usadas foram vendidas, uma queda de 4,8% sobre 2009 e o pior ano desde 1997.

O preço mediano de venda de uma moradia usada nos EUA diminuiu para US$ 168,8 mil em dezembro de 2010, um declínio de 1,0% em relação ao preço mediano verificado no mesmo mês de 2009, de US$ 170,5 mil, e um recuo de 0,8% sobre o valor revisado em baixa de novembro, de US$ 170,2 mil.

O estoque de casas usadas disponíveis para venda caiu 4,2% no fim de dezembro, para 3,56 milhões de unidades. Esse montante equivale a 8,1 meses de oferta ao atual ritmo de vendas, em comparação com 9,5 meses em novembro.

Em comparação com dezembro de 2009, as vendas de moradias usadas diminuíram 2,9%. Em novembro, as vendas haviam subido 6,1%, para 4,7 milhões de unidades, em comparação com outubro, segundo dados revisados.

Por regiões, as vendas de moradias usadas em dezembro subiram 16,7% no Oeste, 13,0% no Nordeste, 11% no Meio Oeste e 10,1% no Sul. As informações são da Dow Jones.

 
Tudo o que sabemos sobre:
moradias usadasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.