Venda de papéis da IP no Brasil tem queda de 7,1% no 3° trimestre

A empresa norte-americana International Paper opera três fábricas de papéis de imprimir e escrever no Brasil

André Magnabosco, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 13h10

A norte-americana International Paper (IP), que opera três fábricas de papéis de imprimir e escrever no Brasil, registrou vendas locais de 262 mil toneladas curtas (o equivalente a 237,4 mil toneladas métricas na medição brasileira) no terceiro trimestre deste ano. O resultado representa queda de 7,1% em relação ao total comercializado no mesmo período do ano passado (255,5 mil toneladas no padrão nacional).

A despeito da queda no terceiro trimestre, ocasionada principalmente pelo concorrência dos importados, o resultado da companhia no acumulado de 2009 continua favorável. De janeiro a setembro, as vendas da unidade brasileira alcançaram 792 mil toneladas curtas (717,7 mil toneladas no padrão brasileiro), alta de 13,8% ante o mesmo intervalo de 2009. O crescimento nessa base comparativa reflete principalmente a maturação do projeto da fábrica de Três Lagoas (MS), cujas operações tiveram início em fevereiro do ano passado.

Consolidados os resultados do terceiro trimestre, o Brasil continua despontando como o mercado responsável por evitar queda mais expressiva das vendas da IP no setor de papéis não revestidos. As vendas da empresa nos Estados Unidos e na Europa continuam em retração no acumulado anual de 2010, período no qual as vendas totais da IP tiveram retração de 1,1%, para 3,847 milhões de toneladas curtas.

As vendas totais de papéis não revestidos da IP no terceiro trimestre alcançaram 1,281 milhão de toneladas curtas, queda de 6,1% sobre o mesmo período do ano passado. Nessa base comparativa, o destaque ficou por conta da Europa, com vendas de 311 mil toneladas curtas de papéis. O volume representa alta de 2,3% ante o reportado no terceiro trimestre do ano passado, conforme consta no balanço da companhia divulgado nesta quarta-feira.

A IP é a maior fabricante local de papéis não revestidos, voltados ao mercado de imprimir e escrever, e tem como principais concorrentes nesse segmento as brasileiras Suzano Papel e Celulose e Fibria. A capacidade instalada de produção da IP em território nacional é de 1 milhão de toneladas, divididas nas fábricas instaladas em Três Lagoas, Mogi Guaçu e Luiz Antonio (ambas em São Paulo).

Tudo o que sabemos sobre:
papelIPindústriapapéis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.