Venda de supermercados puxa alta do varejo em outubro

Comércio varejista avança 1,4% ante setembro e 8,4% na comparação com 2008 e supera as previsões

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2009 | 09h13

As vendas de hiper e supermercados, segmento de maior peso na pesquisa de varejo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tiveram desempenho positivo e puxaram para cima os resultados do setor em outubro. O grupo de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo elevou as vendas em 1,4% em outubro ante setembro. Já na comparação com outubro do ano passado, as vendas  desse grupo específico aumentaram 12,2% e contribuíram, sozinhas, com 5,8 pontos porcentuais, ou 69% do aumento de 8,4% das vendas do comércio varejista no período. Até outubro, as vendas desse grupo acumulam altas de 8,2% no ano e de 7,5% em 12 meses.

 

VEJA TAMBÉM:
Varejo só deve retomar ritmo de expansão de 2008 em 2010

Considerando todos os setores, as vendas totais do comércio varejista subiram 1,4% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal, e 8,4% na comparação com outubro do ano passado. Em ambos os casos, os números superaram o teto das previsões. Até outubro, o varejo acumula alta de 5,1% em 2009 e de 5,0% nos últimos 12 meses.

 

Segundo o técnico da coordenação de serviços e comércio do IBGE, Reinaldo Pereira, os dados de outubro do varejo indicam que o reaquecimento da economia após a crise está tornando os resultados do setor "mais robustos". Ele destacou que, considerando os dados do comércio varejista geral e ampliado, entre as 10 atividades pesquisadas, apenas uma registrou queda nas vendas em outubro ante setembro (veículos) e também somente uma ante igual mês do ano passado (materiais de construção).

 

Para ele, "o que vem sustentando esses resultados é o aumento da renda e da massa salarial, a manutenção do emprego, os incentivos governamentais para vários segmentos, os juros básicos em patamar inferior ao ano passado, o retorno do crédito com prazos alongados e o câmbio, que está barateando produtos importados e também elevando o consumo". Segundo Pereira, com o retorno do crescimento da economia, "os efeitos desses fatores vão ficando mais evidentes".

 

Principal indicador de tendência, o índice de média móvel trimestral registrou alta de 0,9% no trimestre encerrado em outubro ante o terminado em setembro. O índice mostrou uma aceleração em relação aos resultados apurado no trimestre encerrado em setembro ante o terminado em agosto (0,6%).

 

Varejo ampliado

 

As vendas do comércio varejista ampliado (que incluem automóveis e materiais de construção) registraram queda de 2,6% em outubro ante setembro, mas subiram 11,2% na comparação com outubro do ano passado. Ante o mês anterior, a queda apurada pelo IBGE refletiu o recuo de 15,8% nas vendas de veículos e motos, partes e peças. Nessa mesma comparação, os materiais de construção elevaram as vendas em 0,8%. Já ante outubro do ano passado, as vendas de veículos subiram 20,0%, enquanto o desempenho de materiais de construção foi negativo (-4,5%).

 

Texto atualizado às 9h55

Tudo o que sabemos sobre:
VarejoIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.