Venda de TV de plasma e LCD pode bater 1 milhão

Liquidações promovidas pelas grandes redes não têm relação com a proximidade da entrada em operação da TV digital, dizem varejistas

Márcia De Chiara, O Estadao de S.Paulo

04 de outubro de 2007 | 00h00

Às vésperas da entrada em funcionamento da TV digital, as duas gigantes do varejo de eletroeletrônicos, Casas Bahia e Ponto Frio, iniciaram esta semana uma verdadeira liquidação de televisores com monitor de plasma e LCD. As ofertas são agressivas e os aparelhos custam entre R$ 1,6 mil e R$ 1,7 mil. Há ainda a possibilidade de parcelamento.As empresas negam que seja movimento de desova de estoques da indústria e do comércio diante da renovação tecnológica dos aparelhos. O argumento das lojas é que esses equipamentos mais sofisticados são objeto de desejo do consumidor e podem ampliar o movimento do comércio num período em que não há forte apelo para ir às compras.Nas contas de Lourival Kiçula, presidente da Eletros, que reúne a indústria eletroeletrônica, as vendas de televisores de plasma e LCD neste ano deverão quase que triplicar. No ano passado, a indústria vendeu 350 mil aparelhos, entre televisores de plasma e LCD. Para este ano, a previsão é atingir um milhão de unidades.Segundo Kiçula, as liquidações dos equipamentos não estão relacionadas com a chegada da TV digital, que começa a funcionar apenas na região da Grande São Paulo a partir do dia 2 de dezembro. Na sua opinião, o movimento reflete uma oferta de produto superior à demanda.''''A TV digital ainda não é uma realidade para o varejo'''', afirma o diretor Comercial do Ponto Frio, José Carlos Prioste. Ele explica que os fabricantes não têm previsões sobre os preços dos televisores com sintonizador embutido que serão os adequados para a nova tecnologia.O diretor da rede, que começou ontem uma liquidação intitulada ''''Grande venda inteligente'''', na qual na compra de um TV de plasma ou LCD leva-se um gravador de DVD de brinde, diz que decidiu cortar os preços e facilitar o pagamento porque a população de baixa renda deseja esse tipo de produto e hoje o momento é propício para a compra porque os prazos do crediário são longos. A expectativa da rede é ampliar em 40% as vendas de TVs até domingo,quando acaba a liquidação.Ele pondera também que, com o recuo da cotação do dólar, o acesso ao produto ficou mais fácil por causa da queda nos preços. É que, embora montados na Zona Franca de Manaus (AM), boa parte dos componentes usados nesses aparelhos são importados.Dados coletados no varejo em geral revelam uma queda abrupta nos preços dos equipamentos, empurrados para baixo pela evolução tecnológica, ganhos obtidos por meio de aumento do volume da produção e a queda do câmbio.Em 2002, por exemplo, um TV plasma de 42 polegadas custava no varejo R$ 24.990. Hoje, esse mesmo produto é vendido por R$ 2.990. Em cinco anos, o recuo é de 88% em termos nominais, sem considerar a inflação. O movimento se repete no caso da TV de LCD de 32 polegadas. Em 2004, quando o aparelho começou a ser vendido no País, o preços era R$ 14.590. Atualmente, essa TV sai por R$ 2.690. A queda no período é de 81,5%.As Casas Bahia, que iniciaram na semana passada uma promoção de TVs de plasma e LCD, informam que a grande aposta da companhia para este fim de ano são as televisões mais sofisticadas. A rede já detectou que esses produtos, assim como os refrigeradores de duas portas, são objetos de desejo do consumidor de baixa renda. Com o crediário de prazos alongados, o desejo pode virar realidade.As Lojas Insinuante também estão promovendo as vendas de TVs mais sofisticadas. A intenção, diz o diretor, Rodolfo França Jr., é ganhar posição em relação aos concorrentes do varejo e atingir as metas de vendas traçadas para este ano.Ele destaca que os cortes nos preços não estão sendo bancados só pelas indústrias. ''''Estamos sacrificando as nossas margens.'''' Desde segunda-feira, a varejista que tem 248 lojas espalhadas principalmente pelo Nordeste, que não enfrenta a concorrência das Casas Bahia e atua numa região em que a TV digital só chegará no fim de 2008, reduziu o preço da TV de plasma de 42 polegadas de R$ 3.990 para R$ 2.990.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.