Divulgação
Divulgação

Venda de veículos importados cai 43,4% em setembro na comparação com 2014

Licenciamentos de importados acumulam queda de 31,8% nos nove primeiros meses deste ano ante mesmo período do ano passado

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

08 Outubro 2015 | 12h43

SÃO PAULO - As vendas de veículos importados no Brasil em setembro permaneceram estáveis em relação a agosto, mas tombaram 43,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado, mostra balanço divulgado nesta quinta-feira pela Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa). No nono mês de 2015, as 27 marcas associadas à entidade emplacaram 4.461 automóveis e comerciais leves fabricados fora do país. Com o resultado, os licenciamentos de importados acumulam queda de 31,8% nos nove primeiros meses deste ano em relação a igual período de 2014, ao totalizar 47.108 unidades.

Considerando os modelos das quatro associadas da Abeifa que começaram a produzir alguns modelos no Brasil recentemente (Jeep, BMW, Suzuki e Chery), o número de emplacamentos total da entidade em setembro somou 11.357 unidades, o equivalente a altas de 11,7% ante agosto e de 40,4% frente um ano atrás. Isso porque só essas quatro marcas juntas licenciaram, no nono mês do ano, 6.896 automóveis e comerciais leves produzidos no Brasil, crescimento de 20,9% em relação a agosto. Nesse período, apenas a BMW registrou queda, de 4,5%, nas vendas desses veículos, enquanto os emplacamentos da Chery (84,6%), Jeep (23,4%) e Suzuki (2,9%) aumentaram.

Esse nível de emplacamentos de importados registrados nos últimos meses, em torno de 4 mil unidades, deve se manter até o fim do ano, avaliou o presidente da Abeifa, Marcel Visconde. Segundo ele, não há, pelo menos no médio prazo, sinais de reação do mercado. "A confiança do consumidor continua decrescendo de forma acentuada e constante e o câmbio estressado a valores não previstos", afirmou em nota. Visconde ressaltou que a alta das vendas dos modelos produzidos no País reflete "apenas que o consumidor que realmente decidiu por um novo veículo optou pelas novidades que nossas associadas recém lançaram no mercado". 

Mais conteúdo sobre:
veiculos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.