Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Venda de veículos novos até maio sobe pela primeira vez desde 2013

Expansão nos cinco primeiros meses do ano foi de 1,57%; em relação a abril, alta superou 16%

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

01 Junho 2017 | 16h25

A venda de veículos novos no Brasil subiu 16,77% em maio deste ano ante maio do ano passado, para 195,5 mil unidades, informou a Fenabrave, associação que representa as concessionárias. Em relação a abril, o crescimento foi mais acentuado, de 24,63%, em razão do maior número de dias úteis em maio, quatro a mais.

Com os resultados, o mercado acumula, de janeiro a maio, expansão de 1,57%, para 824,4 mil unidades, em soma que considera automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. É a primeira vez desde 2013 que a venda de veículos novos apresenta crescimento no acumulado dos cinco primeiros meses do ano. O setor passou a enfrentar quedas antes mesmo do início da crise econômica, em função de uma diminuição da oferta de crédito para veículos.

PIB sobe 1% no 1º trimestre, após oito quedas consecutivas

Na média diária, as vendas em maio também cresceram em relação a maio do ano passado. O quinto mês de 2017 vendeu 8,8 mil veículos por dia, enquanto o mês equivalente em 2016 registrou ritmo diário de 7,9 mil unidades. Também houve aumento, embora mais tímido, em relação a abril deste ano, quando a média foi de 8,7 mil unidades por dia.

Os resultados positivos, no entanto, tiveram pouca contribuição do consumidor pessoa física, conhecido no setor como "varejo". A exemplo do que ocorreu em março, a maior parte do crescimento foi causada por vendas mais expressivas para clientes pessoa jurídica, como locadoras de veículos, produtores rurais e frotistas em geral.

Para economistas, ainda é cedo para decretar fim da recessão

Os clientes pessoa jurídica foram responsáveis por 42,15% das vendas de veículos em maio. Historicamente, essa participação é de 30%. Em maio do ano passado, havia sido de 34%. Fontes do setor têm dito que o aumento das vendas para empresários é reflexo de preços mais baixos oferecidos pelas montadoras, em uma tentativa de eliminar estoque.

Para o presidente da Fenabrave, Assumpção Júnior, os números de maio confirmam uma tendência de recuperação. Ele citou o crescimento do PIB no primeiro trimestre como um sinal disso, destacando o desempenho mais forte do agronegócio. "Esses indicadores positivos refletem diretamente em nosso setor, pois ampliam a confiança do consumidor e de empresários em investir nos produtos que comercializamos", disse.

Segmentos. Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, juntos, os emplacamentos somaram 190,1 mil unidades em maio, expansão de 17,26% ante maio de 2016. Sobre as vendas de abril, o crescimento é de 24,79%. E no acumulado do ano, o mercado tem alta de 2,24%, para 802.270 unidades.

Entre os caminhões, a venda atingiu 4.119 unidades em maio, avanço de 1,48% em relação ao maio de 2016 e alta de 18,06% ante abril. Já no acumulado do ano, o segmento tem queda de 18,63%. No caso dos ônibus, foram 1.318 unidades vendidas em maio, crescimento de 2,97% em comparação com igual mês de 2016 e avanço de 24,11% em relação a abril. No entanto, de janeiro a maio, ainda há recuo, de 15,04%.

Mais conteúdo sobre:
BrasilPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.