Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Venda de veículos novos cai 17% em um ano

De janeiro a outubro, 1,6 milhão de automóveis novos foram comercializados, queda de mais de 22% em relação a 2015

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2016 | 16h30

As vendas de veículos novos no Brasil em outubro tiveram queda de 17,22% na comparação com o mesmo mês do ano passado, informou a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) nesta terça-feira, 1°. Como há um dia útil a menos em outubro deste ano, a média diária teve recuo de 13,1%. No acumulado do ano, a venda de veículos novos alcança 1,667 milhão de unidades, baixa de 22,28% ante o resultado registrado em igual período de 2015.

Em outubro ante setembro, a queda registrada foi de 0,57%, para 159.049 unidades. Com um dia útil a menos, no entanto, houve crescimento de 4,4% na média diária, para 7,9 mil unidades. O levantamento que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Por segmento, automóveis e comerciais, juntos, somam 154.875 unidades vendidas em outubro, praticamente estável em relação a setembro, com queda de 0,06%. Na comparação com outubro do ano passado, o recuo é de 16,4%. De janeiro a outubro, os emplacamentos dos dois segmentos totalizam 1,613 milhão de unidades, declínio de 21,92% sobre o volume alcançado em igual intervalo do ano passado.

No mercado de caminhões, foram emplacadas 3.417 unidades em outubro, baixa de 17,74% ante o volume de outubro e recuo de 40,92% em relação a setembro do ano passado. Nos primeiros dez meses, os licenciamentos chegaram a 42.067 caminhões, retração de 31,55% ante igual período de 2015.

Entre os ônibus, foram vendidas 757 unidades, queda de 8,57% em comparação com o número de emplacamentos em setembro. Em relação a outubro de 2015, o volume comercializado representa recuo de 30,61%. De janeiro a outubro, foram emplacados 11.913 ônibus, recuo de 32,56% sobre o nível de igual período do ano passado.

As quedas no mercado de veículos no Brasil ainda refletem a alta continuada do desemprego e o crédito restrito por parte das instituições financeiras. Representantes de associações do setor automotivo, como a Anfavea e a Fenabrave, acreditam que o quarto e último trimestre de 2016 deve marcar a retomada das vendas. Para o ano inteiro, no entanto, a projeção da Anfavea é de queda de 19%, considerando todos os segmentos.

Mais conteúdo sobre:
BrasilAnfavea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.