Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Venda de veículos novos cresce 13,5% em junho e sinaliza recuperação

Mercado de automóveis leves mostra novo sinal positivo, agora com crescimento também nas vendas para a pessoa física

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2017 | 11h50

O mercado brasileiro de veículos leves deu mais um sinal de recuperação em junho. A venda total de veículos novos no Brasil cresceu 13,49% em junho deste ano ante junho do ano passado, para 194,9 mil unidades, em soma que considera automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Os dados são da Fenabrave, associação que representa as concessionárias.

No primeiro semestre, que se encerrou com o mês de junho, as vendas de veículos cresceram 3,7%, para 1,019 milhão de unidades, em relação a igual período do ano passado. A média diária da primeira metade do ano ficou em 9,8 mil, avanço de 5,5% ante o ritmo de igual período de 2016. O resultado foi antecipado pelo Estado com dados preliminares do mercado.

Junho é o terceiro mês do ano em que as vendas sobem na comparação com igual mês do ano anterior. Na média diária, o mercado teve expansão ainda mais expressiva, de 18,9%, para 9,2 mil unidades, uma vez que junho deste ano contou com um dia útil a menos. Em relação a maio, as vendas totais caíram 0,3%, mas a média diária teve alta de 4,4%.

A média diária do mês nas vendas para o consumidor pessoa física, que foi o mais afetado pela crise, cresceu 9,3% em relação ao ritmo de junho do ano passado, para 5,1 mil unidades. Trata-se do primeiro crescimento nesse tipo de comparação desde janeiro de 2014. 

+ Venda de veículos cresce 3,7% no semestre

O mercado de veículos já vinha dando alguns sinais de reação em 2017. No entanto, nos dois meses em que apresentou crescimento este ano - março e maio, em comparações interanuais -, os resultados foram impulsionados por vendas para clientes pessoa jurídica, como locadores de veículos, produtores rurais e frotistas em geral. 

Essa é a primeira vez, portanto, que os dois tipos de venda, para pessoa física e para pessoa jurídica, registram expansão na média diária de vendas.

Porém, as vendas para clientes pessoa jurídica continuam dando uma maior contribuição para a melhora do mercado, com avanço de 17,9% na média diária de junho deste ano ante junho do ano passado.

Usados. A venda de veículos usados no Brasil cresceu 10,71% em junho deste ano ante igual mês do ano passado, para 952,4 mil unidades. Em relação a maio, no entanto, as vendas caíram 4,12%. No acumulado de janeiro a junho, que corresponde ao primeiro semestre do ano, o mercado de usados avançou 9,78%, para 5,258 milhões de unidades, em comparação com igual período de 2016.

Entre os veículos leves, que somam os segmentos de automóveis e comerciais leves, as vendas subiram 10,47% em junho ante junho do ano passado, para 918,7 mil unidades. Porém, o volume, se comparado maio, representa queda de 4,06%. Com o resultado de junho, o primeiro semestre terminou com a venda de 5,07 milhões de unidades, alta de 9,89% sobre o primeiro semestre de 2016.

No segmento de caminhões, o mercado avançou 3,19% em junho ante junho do ano passado, para 29,9 mil unidades. Na comparação com maio, o resultado aponta para retração de 5,33%. De janeiro a junho, foram vendidas 163,4 mil unidades, crescimento de 4,14% ante igual intervalo de 2016.

No caso dos ônibus, a venda de usados somou 3,7 mil unidades em junho, alta de 5,56% em relação a igual mês do ano passado, mas queda de 10,24% ante o resultado observado em maio. No acumulado do ano, o mercado cresceu 28,13%, para 24,1 mil unidades. 

Projeções. A Fenabrave está mais otimista com o mercado de carros em 2017. As novas projeções divulgadas nesta terça-feira, 4, estimam crescimento de 4,3% na venda de automóveis e comerciais leves este ano em relação a 2016, para 2,071 milhões de unidades, ante uma expectativa anterior, publicada em janeiro, de expansão de 2,4%.

Por outro lado, a associação está mais pessimista em relação aos caminhões e ônibus. A nova estimativa aponta queda de 10,2% na venda dos dois segmentos somados, para 57,4 mil unidades. A projeção anterior, também divulgada em janeiro, era de avanço de 3,15%. Se for considerado somente o mercado de caminhões, a nova previsão é de recuo de 11,5%, para 44,5 mil unidades. No caso dos ônibus, espera-se retração de 5,5%, para 12,8 mil unidades.

Na soma de todos os segmentos - automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus - a Fenabrave espera expansão de 3,85% em 2017 ante 2016, com a venda de 2,129 milhões de unidades. As estimativas anteriores, também somadas, representavam avanço mais tímido, de 2,42%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.