Nilton Fukuda / Estadão
Nilton Fukuda / Estadão

Venda de veículos novos em março cresceu 0,8% em relação a mesmo período de 2018

Segundo a Fenabrave, foram 209,1 mil unidades vendidas nos segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus; volume teve expansão de 5,3% em comparação a fevereiro

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2019 | 11h46

SÃO PAULO - As vendas no mercado de veículos novos aumentaram 0,8% em março em comparação ao mesmo período de 2018, informou nesta quarta-feira, 3, a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), em balanço distribuído à imprensa. 

Foram 209,1 mil unidades vendidas nos segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O volume, se comparado a fevereiro, teve expansão de 5,3%.

O primeiro trimestre terminou com crescimento de 11,4% em relação aos três primeiros meses de 2018, com a comercialização de 607,6 mil unidades, o maior resultado para o período desde 2015.

Por segmentação, os chamados veículos leves, que englobam os automóveis e comerciais leves, registraram 199,5 mil emplacamentos em março, o que corresponde a uma queda de 0,25% em comparação a março de 2018, mas crescimento de 5,1% em relação a fevereiro. No primeiro trimestre, foram 580 mil unidades, alta de 10% sobre igual período do ano passado.

Na categoria de caminhões, as concessionárias venderam 7,6 mil unidades no terceiro mês do ano, apresentando uma expansão de 27,8% em relação a março de 2018 e de 11,9% sobre o resultado de fevereiro. De janeiro a março, foram 21,3 mil caminhões comercializados, avanço de 45,7% em comparação a igual intervalo do ano passado.

Os ônibus registraram 2 mil vendas em março, alta de 49,7% em relação a igual mês do ano passado e avanço de 0,9% sobre o desempenho de fevereiro. Nos primeiros três meses, o segmento acumula 6,1 mil emplacamentos, um crescimento de 71,3% sobre igual período de 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.