Venda de veículos usados cresce 22,8% em julho

Desempenho é superior ao segmento de novos em qualquer comparação; carros com quatro a oito anos de uso são os preferidos

Hugo Passarelli, O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2014 | 13h57

Enquanto as montadoras de veículos cortam produção e as vendas de veículos novos caem, os carros usados continuam em alta no mercado brasileiro. Em julho, a comercialização de seminovos e usados, incluindo automóveis e comerciais leves, somou 892,2 mil unidades, um crescimento de 22,8% contra junho e 6,2% em relação ao mesmo mês de 2013, segundo dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). Incluindo motos e comerciais pesados (caminhões), a alta é de 7,2% na comparação anual e 23,4% na mensal.

O resultado é superior ao do segmento de novos em qualquer análise. Segundo a Anfavea, as vendas de veículos novos no mercado interno no mês passado subiram 11,8% na comparação com junho, mas tombaram 13,9% sobre julho de 2013.

Os usados com quatro a oito anos de uso foram os preferidos dos consumidores em julho, com 464,4 mil unidades vendidas. O dado mostra uma recuperação em comparação com junho, quando a Copa do Mundo atrapalhou o movimento do comércio e as vendas do setor foram 12,8% menores em relação a maio.

"Embora ainda estejamos enfrentando uma seletividade mais rigorosa na aprovação do crédito, os financiamentos estão acontecendo em um ritmo mais constante e progressivo, o que nos oferece a perspectiva que conseguiremos, até o final deste ano, recuperar boa parte do terreno que perdemos em 2012", afirmou, em nota, o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos.

Incluindo motos e comerciais pesados (caminhões), a venda acumulada de usados nos sete meses de 2014 chega a 7,3 milhões de unidades, uma alta de 5% perante o desempenho no mesmo período de 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
veiculos usadosfenautoanfavea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.