Estadão
Estadão

Dia dos Namorados tem 1ª queda de vendas em seis anos e shoppings antecipam liquidações

Segundo a Boa Vista, as vendas recuaram 0,5% em relação à mesma data no ano passado

Márcia de Chiara, O Estado de S. Paulo

15 de junho de 2015 | 19h29

O desempenho de vendas do Dia dos Namorados decepcionou os varejistas que devem antecipar para o início de julho as liquidações de itens de inverno, normalmente programadas para o final do mês. Depois de Dia das Mães e do Dia dos Namorados, ambos ruins, a intenção dos lojistas é desovar os estoques, que já não eram grandes, para fazer caixa e pagar as despesas do mês.

Nas contas da Boa Vista Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), as vendas recuaram 0,5% entre os dias 1º e 12 de junho em relação ao mesmo período de 2014. Foi primeira retração de vendas para a data desde 2009, quando, em plena crise, o volume de negócios no varejo caiu 1,2%. No ano passado, a mesma pesquisa, de âmbito nacional e baseada em uma amostra das consultas realizadas no banco de dados da empresa, registrou crescimento de 0,8% no desempenho de vendas para a data.

"Infelizmente o primeiro semestre está perdido para o varejo", afirma o presidente da Associação de Lojistas de Shoppings (Alshop), Nabil Sahyoun. Levantamento preliminar feito pela entidade mostra que as vendas não cresceram em relação às de 2014 na melhor das hipóteses, levando em conta o mesmo número de lojas. Os itens mais vendidos foram os de baixo valor unitário, como flores, chocolates e produtos de perfumaria.

Sahyoun diz que esse comportamento de compras reflete o maior endividamento do consumidor e o medo de ficar desempregado. Essa cautela pode significar R$ 5,2 bilhões a menos de vendas no Dia dos Namorados deste em relação à data de 2014, segundo cálculos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo, levando em conta projeções nacionais de vendas.

Contramão. Já a Serasa Experian registra crescimento de vendas de 1,2% entre os dias 6 e 12 de junho comparado ao mesmo período de 2014. A pesquisa também é nacional e leva em conta as consultas recebidas para vendas financiadas, só que o período analisado é diferente. Enquanto a Boa Vista SCPC considera doze dias, a Serasa Experian avalia seis dias.

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, o crescimento de vendas de 1,2% não indica uma retomada porque a base de comparação é muito fraca. No Dia dos Namorados de 2014, o desempenho do comércio foi pífio, cresceu apenas 0,5% sobre o ano anterior, afetado pela abertura da Copa do Mundo. O crescimento de 1,2% reflete a alta dos juros e aumento do desemprego.

Sahyoun lembra também que 25 novos shoppings foram inaugurados no ano passado, o que significa 4 mil novas lojas entrando em funcionamento, isso sem contar os pontos de venda que entraram em operação por conta de ampliações feitas em shoppings consolidados. Por isso, ele acredita que, se forem consideradas as novas lojas, as vendas podem ter tido uma expansão nominal. Mas na opinião do empresário, a frustração dos negócios deverá resultar na antecipação das liquidações.

Tudo o que sabemos sobre:
vendascomércioDia dos Namorados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.