Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Venda do HSBC no País pode beneficiar o Citi

Presidente do Citi descartou a possibilidade de comprar o rival, assim como a chance de também se desfazer de ativos no País

O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2015 | 02h06

O presidente do Citi no Brasil, Hélio Magalhães, disse nesta quinta-feira, 18, que o banco tende a ser favorecido com a concentração bancária resultante da venda da unidade do HSBC no País. "Isso pode reforçar nossa condição de banco com soluções internacionais no Brasil", disse Magalhães.

Na véspera, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, disse que o banco fará, em julho, uma oferta vinculante pelos ativos do HSBC. O banco disputa o ativo com Itaú Unibanco e Santander Brasil.

Segundo o executivo do Citi, mesmo a desvantagem em relação aos principais rivais em termos de escala pode ser compensada por maior agilidade do banco, com foco em nichos mais rentáveis.

Magalhães voltou a descartar interesse na compra do HSBC no País, assim como a chance de se desfazer de ativos no Brasil, que é um dos dez maiores mercados do Citi no mundo.

O presidente do Citi no Brasil elogiou mudanças feitas pelo governo federal no novo pacote de concessões de logística, com tendência de maior uso de instrumentos de mercado de capitais para financiamento dos projetos, substituindo parte dos recursos subsidiados do BNDES.

"O governo está sinalizando maior equilíbrio entre financiamento em taxas de retorno aos investidores", disse. "Nos últimos dias, o volume de perguntas de investidores estrangeiros sobre o Brasil cresceu bastante." (Com informações da Reuters).

 

Tudo o que sabemos sobre:
HSBCbancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.