Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Venda menor no Natal amplia promoções

Para acabar com o estoque excedente, redes e lojas devem aumentar o período de ofertas este ano na comparação com anos anteriores

LUIZ GUILHERME GERBELLI, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2011 | 03h08

O período de promoções das grandes redes e lojas deve ser maior este ano do que em anos anteriores. A venda abaixo do esperado no Natal vai obrigar o comércio a antecipar ou aumentar o período de promoções para se desfazer dos estoques. "Alguns lojistas devem ter encerrado o Natal com um estoque maior do que o previsto. Então, acredito que vamos ter muitas promoções", disse Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

A ACSP ainda não finalizou os balanços das vendas de fim de ano. A expectativa é de um crescimento de 2% em relação ao ano passado, enquanto a construção do estoque foi feita para uma alta de 5% a 6% nas vendas.

"As lojas vão tentar reverter esse movimento com mais promoções", afirmou Solimeo. Apesar do resultado abaixo do esperado, o economista considerou o crescimento das vendas bom, já que a base de comparação é o Natal de 2010, apontado como o melhor dos últimos dez anos.

Segundo Solimeo, o período de promoções também deve ser estendido por causa do aumento do salário mínimo, que, a partir de 1.º de janeiro, vai subir de R$ 545 para R$ 622. "O ano começa com a velocidade que terminou o ano anterior. As empresas, portanto, vão procurar acelerar a velocidade com promoções." A alta do salário mínimo, segundo cálculo realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), deve injetar R$ 47 bilhões na economia brasileira.

O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior, também confirmou o período maior de promoções. "O Natal não foi como esperávamos e alguns setores devem fortalecer as promoções", afirmou. O período de ofertas, segundo ele, deve durar de 15 a 20 dias. Segundo a CNDL, as vendas cresceram 2,33%, enquanto a previsão era uma alta de 8%.

O levantamento da Associação Nacional dos Lojistas de Shopping (Alshop) também apontou para um crescimento abaixo do esperado. As vendas avançaram 5,5% em relação a 2010, mas a expectativa era de alta de 6,5%.

Para Fábio Pina, economista da Fecomércio-SP, no entanto, as promoções desta temporada não vão destoar das realizadas em anos anteriores. Segundo a entidade, as vendas de Natal cresceram 3,4% este ano. O resultado, segundo Pina, ficou dentro do esperado - a previsão era de uma alta entre 3% e 4%."Em 7 milhões de empresas, alguém com certeza errou. Mas não podemos falar de grandes promoções", disse Pina.

Redes. Grandes redes já colocaram alguns produtos em promoção, mas também dizem que as campanhas são tradicionais e não estão relacionadas com vendas menores do que o esperado.

A rede Extra, por exemplo, promove desde segunda-feira o "Saldão de Natal", com descontos de até 50% em produtos de bazar, têxtil, eletroeletrônicos, brinquedos. O saldão vai até dia 31. O Magazine Luiza também deve realizar a "Liquidação Fantástica" no início de janeiro. As redes Casas Bahia e Ponto Frio também já estão com promoções, cujo desconto pode chegar a 70%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.