Venda no varejo no Reino Unido fica estável em agosto

As vendas no varejo do Reino Unido ficaram estáveis em agosto em relação a julho, já que um aumento nas vendas em lojas de alimentos foi contrabalançada por uma queda nas vendas em lojas de produtos não alimentícios, de acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas. Em comparação com agosto do ano passado, as vendas no varejo subiram 2,1%.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 10h05

Os dados vieram piores do que a expectativa dos economistas, que era de aumento de 0,2% no mês e de 2,6% no ano. Os números de julho foram revisados para crescimento de 0,2% em relação a junho e de 2,9% ante julho de 2008. Originalmente, o órgão havia anunciado que as vendas no varejo em julho tinham subido 0,4% e 3,3%, respectivamente.

"Para o terceiro trimestre deste ano como um todo, os volumes de vendas no varejo estão no caminho para crescer entre 0,7% e 0,8% em comparação com o trimestre anterior", afirmou Ross Walker, economista do Royal Bank of Scotland para o Reino Unido. Walker acrescentou que isso deverá "sustentar o primeiro crescimento trimestral do produto interno bruto desde o primeiro trimestre de 2008".

Em uma base trimestral, os dados do escritório de estatísticas mostraram que o volume de vendas registrou o nível máximo de 14 meses, o que sugere que a tendência das vendas no varejo está melhorando. Nos três meses encerrados em agosto, as vendas no varejo cresceram 1,2%, em comparação com os três meses imediatamente anteriores. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
varejovendasReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.