finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Venda no varejo sobe em todos os setores, apura IBGE

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o volume de vendas no comércio varejista em junho aumentou em todos os setores pesquisados pelo IBGE, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Já as vendas de junho em relação a maio mostraram crescimento em três dos quatro grupos com ajuste sazonal.O setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve aumento de vendas de 8,5%. O grupo de móveis e eletrodomésticos mostrou alta de 16,2%. A atividade de outros artigos de uso pessoal e doméstico teve crescimento de 28,9%. O grupo de tecidos, vestuário e calçados registra alta de 16,6%. Já combustíveis e lubrificantes mostraram aumento de vendas de 5,9%. No setor de livros jornais, revistas e papelaria a alta ficou em 9,5%. Os artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos ampliaram as vendas em 11%. O grupo de equipamentos e material de escritório, informática e comunicação expandiu o volume de vendas em 24,3%. O grupo de veículos, motos, partes e peças teve crescimento de 31,8% e o de material de construção, de 11,5%. As vendas no varejo em junho em relação a maio mostraram crescimento em três dos quatro grupos com ajuste sazonal na pesquisa feita pelo IBGE. O grupo de móveis e eletrodomésticos mostrou o maior crescimento com 1,2%. O grupo de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve alta nas vendas de 0,2%, sendo que considerando apenas o super e hipermercados, aconteceu uma redução de 0,3% nas vendas. Os combustíveis e lubrificantes mostraram aumento de 0,1%. Já o grupo de tecidos, vestuário e calçados não variou. Considerando o comércio varejista ampliado, a maior alta foi a de veículos, motos partes e peças, de 4,2%. No entanto, o economista do IBGE, Reinaldo Silva Pereira, explicou que nesse tipo de venda não há como separar o varejo do atacado.Houve crescimento de 0,8% na receita nominal (desconsiderada a inflação) do comércio varejista em junho, com relação a maio, acumulando 7,2% no primeiro semestre em relação ao final do ano passado. Na comparação com junho do ano passado, a alta na receita nominal foi de 14,3%. No primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 10,6%. Nos últimos 12 meses até junho, houve expansão de 8,7% na receita nominal. Considerando o comércio varejista ampliado, que inclui os setores de automóveis e material de construção, a receita nominal subiu 18,7% em junho, ante o mesmo mês do ano passado. Na comparação com o primeiro semestre de 2006, a alta foi de 13,6% e nos últimos 12 meses até junho, de 11,0%.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

15 de agosto de 2007 | 10h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.