Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Vendas da indústria caem 1,51% em maio ante maio/2004

Os sinais de desaquecimento da atividade industrial foram mais fortes em maio, segundo o boletim Indicadores Industriais divulgado hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Dois fatores marcaram esse cenário. As vendas reais e a utilização da capacidade instalada apresentaram variações negativas em maio na comparação com maio de 2004. Segundo a CNI, as vendas reais da indústria de transformação caíram 1,51% ante maio de 2004, e 0,33% ante abril em termos dessazonalizados. O nível de utilização da capacidade instalada também recuou, de 82,1% em maio de 2004 para 81,8% em maio deste ano, também em termos dessazonalizados. Em abril, o uso da capacidade instalada foi de 81,9%.Também não houve expansão do emprego industrial em maio em relação a abril, interrompendo uma trajetória de crescimento verificada nos últimos 18 meses. Em relação a maio de 2004, o número de postos de trabalho na indústria cresceu 5,72%. "A ausência de crescimento no emprego industrial, fato incomum nos últimos 18 meses, pode sinalizar se o arrefecimento da atividade industrial pode ter enfim chegado ao mercado de trabalho", avalia o boletim da CNI.EmpregoA desaceleração da atividade industrial já havia enfraquecido o ritmo de contratações. Em 2004, de acordo com os dados da CNI, o emprego industrial cresceu em média 0,6% ao mês. No primeiro quadrimestre deste ano, essa taxa de crescimento reduziu-se pela metade. O número de horas trabalhadas na indústria subiu 7,55% em maio ante maio de 2004 e caiu 0,12% ante abril. Os salários livres reais pagos pela indústria cresceram 9,22% em maio ante maio de 2004 e 0,78% na comparação com abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.