Vendas da Nestlé crescem e empresa mantém previsões

Volume comercializado aumenta 7,2% até setembro; alta nos preços de commodities levou a aumento de preços

Tom Armitage, da Reuters,

18 de outubro de 2007 | 11h52

A Nestlé, maior grupo alimentício do mundo, cumpriu as expectativas e divulgou aumento de 7,2% nas vendas nos primeiros nove meses do ano. A companhia confirmou ainda sua previsão de alta de cerca de 7% no faturamento anual.  A companhia informou que aumentou preços para compensar a alta acentuada nos preços de commodities como leite, café e trigo. O grupo alertou que os mercados de commodities agrícolas continuarão difíceis em 2008 e espera continuar repassando aumento de custos para os consumidores.  O presidente-executivo da companhia, Peter Brabeck, disse que estava confiante de que as vendas de 2007, sem incluir aquisições e câmbio, devem crescer mais do que a meta de longo prazo de 5% a 6% para aproximadamente 7%, e que o grupo irá ver um aumento sustentável nas margens em 2007.  A empresa afirmou que seu vice-presidente financeiro, Paul Polman, será o diretor da maior região de negócios da companhia, as Américas, em fevereiro. James Singh, atualmente chefe de desenvolvimento em aquisições e negócios, irá tomar o lugar de Polman em janeiro.  As vendas totais do grupo cresceram 9% nos últimos nove meses, para 78,7 bilhões de francos suíços (US$ 66,64 bilhões).  Analistas consultados pela Reuters tinham previsão de 78,47 bilhões de francos suíços em faturamento total para o período. A empresa não divulga lucro para o período de nove meses.

Mais conteúdo sobre:
Nestlévendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.