Vendas de automóveis caem 4,62% em outubro, apura Fenabrave

As vendas de automóveis e comerciais leves caíram 4,62% em outubro ante setembro, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O número de emplacamentos nesse segmento caiu de 136,95 mil unidades em setembro, para 130,63 mil unidades em outubro, sendo 110,99 mil autos e 19,64 mil comerciais leves. Em relação a outubro do ano passado, houve crescimento de 1,48%, uma vez que, no mesmo mês de 2004, 128,73 mil unidades foram comercializadas no País. De acordo com a Fenabrave, as vendas acumuladas no período de janeiro a outubro de autos e comerciais leves atingiu 1,294 milhão de unidades, alta de 9,67% em comparação ao mesmo período de 2004, quando as vendas atingiam 1,180 milhão de veículos. O desempenho das vendas do setor em outubro ficou aquém das previsões inicias da Fenabrave, que esperava para o mês passado vendas da ordem de 146,89 mil unidades para o período e, no acumulado do ano, de 1,614 milhão de veículos. A Federação indicou ainda que as vendas de outubro de caminhões e ônibus atingiram 7,01 mil unidades, uma queda de 6,67% ante setembro, quando 7,51 mil unidades foram emplacadas. No acumulado do ano até outubro, as vendas de caminhões e ônibus estão em 78,23 mil unidades, uma queda de 4,13% em relação ao acumulado no mesmo período de 2004, quando 81,60 mil unidades foram emplacadas. Perspectivas para 2006 O mercado brasileiro de veículos automotores deverá crescer entre 8% e 9% no volume de unidades comercializadas em 2006, na comparação com 2005. A projeção foi feita pelo presidente da Fenabrave, Sérgio Antonio Reze, ao estimar, ainda, que o ano de 2005 já fechará plenamente positivo, com um crescimento de 9% a 9,5% no volume comercializado. "Se a queda constante de juros sinalizada pelo Banco Central continuar, se a manutenção do controle de inflação permanecer, o dólar continuar estabilizado ou com ligeiro crescimento, a economia deverá continuar crescendo em 2006 e o nosso desempenho continuará bom", acrescentou. Segundo ele, a expansão do setor seguirá sendo impulsionada pelas vendas de motocicletas, com estimativa de alta de 11,5%, no volume de unidades, no próximo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.