Vendas de carros caem em junho, mas semestre é recorde

Manifestações tiveram impacto no comércio, que vendeu 318,6 mil veículos, 9,8% menos que em junho de 2012

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2013 | 02h06

As vendas de veículos novos em junho cresceram apenas 0,76% em relação a maio e ficaram pouco abaixo das previsões das fabricantes. Foram 318,6 mil unidades, incluindo caminhões e ônibus. Em relação ao mesmo mês de 2012, houve queda de 9,8%. Já no acumulado, foi o melhor semestre da história, com um total de 1,799 milhão de veículos, 4,78% a mais que em igual período do ano passado.

Na semana passada, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, declarou que esperava vendas melhores para o mês. Executivos do setor apostavam no mínimo em 320 mil unidades vendidas.

Os protestos ocorridos no País contribuíram para o menor desempenho. "Evidentemente há dificuldade do consumidor em acessar a rede de revendas e com isso há alguma perda de vendas", disse Moan.

Ele ressaltou que o setor já esperava redução no ritmo de crescimento a partir de junho em razão da base comparativa. No segundo semestre de 2012 as vendas cresceram após o governo reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no fim de maio. O incentivo foi parcialmente mantido até o fim deste ano, mas perdeu atratividade.

De janeiro a maio, as vendas estavam 8,6% acima dos resultados do mesmo intervalo do ano passado. Agora, se aproximam da previsão da Anfavea para o ano, de alta de 3,5% a 4,5% em relação aos 3,8 milhões de veículos vendidos em 2012. Para confirmar esse porcentual, o setor terá de crescer em média 2% ao mês até dezembro, segundo analistas.

Só em automóveis e comerciais leves foram vendidos em junho 303,2 mil unidades, 11% a menos que há um ano e 0,7% a mais que em maio passado. No ano, o segmento soma 1,63 milhão de licenciamentos, com crescimento de 4,8%.

Ranking. A Fiat segue como líder do mercado na primeira metade do ano, com 22% de participação nas vendas. O segundo lugar é da Volkswagen, como 19%, seguida por General Motors, com 18%. Na sequência estão Ford (9%), Renault (6%), Hyundai (5,8%) e Toyota (5%). Demais marcas somam 15,2% do mercado.

Em junho, o Gol seguiu como o carro mais vendido do País, com 22,5 mil unidades, bem à frente do Uno, com 16.280. O Fox passou o Palio e ficou em terceiro lugar, com 13,8 mil, ante 13,6 mil do concorrente. Onix, Siena e Corsa venderam, respectivamente, 9,7 mil, 9,5 mil e 9,2 mil unidades. O Sandero teve 8,7 mil unidades licenciadas e o HB20, que perdeu o fôlego registrado nos últimos meses, vendeu 8,4 mil unidades.

Os números são preliminares e devem ser confirmados na quinta-feira pela Anfavea, quando também serão divulgados dados de produção, exportações e empregos do setor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.